5 dicas para tratar disbiose intestinal

Oi, amigos! Vocês sabem o que é disbiose intestinal? Aqui falamos sobre o que é, quais os sintomas e porque ela acontece. Se você sofre deste problema e quer detalhes sobre como amenizar os sintomas, conheça 5 dicas para tratar a disbiose intestinal neste post.

Como dito anteriormente, sua principal causa é o desequilíbrio do intestino, mas pode estar ligado à condições que vão além da digestão. Veja agora como tratar os sintomas: 

1- Retirar ao máximo ou eliminar alimentos como farinha branca, açúcar (não do alimento natural), e industrializados da sua alimentação.

Geralmente alimentos que vêm em pacote são refinados e processados. Uma ideia é começar trocando o pãozinho do café da manhã por uma banana com aveia e canela, por exemplo, já ajuda muito, e você pode dar uma incrementada a mais. As fibras ajudam na proliferação das bactérias boas, e a canela tem efeito antifúngico. Combinação sensacional e simples. Mesmo o pão sem glúten e alimentos que contenham açúcar não são indicados para consumir em excesso.

2- Ingerir no máximo 150 ml de líquido junto das refeições

E que esse líquido seja prioritariamente água. No máximo um suco como água com limão ou suco de maracujá sem açúcar. Evitar também muito líquido durante a refeição, pois isso atrapalha no processo digestivo do alimento ingerido e causa a disbiose.

3- Evitar muitas misturas na mesma refeição

Isso é algo muito comum no dia a dia, já que a nossa principal combinação de alimentos é o arroz e feijão. Pegar mais um tipo de carne, lasanha com arroz e feijão, diversos tipos de vegetais e muitas outras variedades em um mesmo prato acaba atrapalhando no processo de digestão pela alta qualidade de fibras. Facilitar e otimizar a digestão é a peça chave, então tanto o excesso quanto a mistura de alimentos na mesma refeição atrapalha no processo de digestão.

4- Aumentar o consumo de vegetais

Ingerir apenas salada e tomate, por exemplo, é   uma quantidade muito reduzida da variedade de nutrientes. Dê preferência à vegetais de cores intensas, como verde escuro (couve, espinafre, rúcula), amarelo (cenoura, abóbora), roxo (beterraba, repolho roxo). São tantos legumes e verduras para experimentar, dá para preparar tantas receitas incríveis partir delas e sair da monotonia da salada de alface.

Explore alguns tipos de molhos diferentes, opte por fazer vegetais mais refogados ao invés de cozidos. Cebola, temperos verdes e azeite de oliva ajudam a dar muito sabor aos vegetais e a consumi-los em quantidade maior. É importante a presença dos vegetais em pelo menos duas refeições ao dia. A OMS recomenda o consumo geral de pelo menos 500 gramas de frutas e verduras, o que seria 300 gramas de vegetais diariamente. Você segue essa recomendação? Me conta nos comentários!

Ensinei no canal uma salada de repolho roxo deliciosa. E também como guardar e lavar a salada por 15 dias, para quem busca mais praticidade.

5- Evitar/diminuir o uso de antibióticos e antiácidos

Com exceção da indicação médica, é muito importante seguir também essa dica. Os antibióticos e antiácidos impactam diretamente na quantidade e qualidade das bactérias do nosso organismo, então são os que mais agravam a disbiose. Se você faz o uso há bastante tempo, vale considerar e melhorar o processo digestivo.

Se usa antibiótico com uma certa frequência, procure um nutricionista para te ajudar a melhorar o sistema imunológico, pois quanto maior a disbiose, menor a imunidade e isso gera a necessidade do antibiótico. O organismo precisa se recuperar para sair desse esquema vicioso.

E os probióticos?

Só vale a pena investir nos probióticos após a melhora na alimentação e o processo digestivo. E essa mudança já ajuda na proliferação de probióticos no nosso intestino. Eles vêm como um plus para colaborar em um processo mais terapêutico.

Comecem já a colocar em prática estas 5 dicas para tratar disbiose intestinal e sintam as mudanças aparecerem de verdade!

Lembrando que é muito importante fazer o acompanhamento com um profissional da saúde, embora tenhamos acesso à informação e investigam a fundo o seu caso.

Leia mais posts relacionados ao assunto de hoje:

O que são probióticos e probióticos
Disbiose intestinal
Como melhorar a digestão
O impacto psicológico das alergias alimentares
Quanto tempo levei para melhorar da síndrome fúngica/disbiose

Assista no meu canal o vídeo que inspirou o post:

Um beijinho.

Sobre o Autor

Flavia Machioni

Flavia Machioni

Eu sou a Flavia, autora do Lactose Não. Sou especialista em cozinha natural, Health Coach formada pelo IIN/NY e Relações Públicas de formação. Faz 7 anos que venho mudando meu estilo de vida para ter mais saúde e bem estar e divido grande parte desse caminho aqui e em minhas redes sociais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *