Disbiose intestinal

Texto da nutricionista Pri Riciardi  CRN 89694- nutripri_riciardi

 

Já ouviu falar sobre disbiose intestinal? 

O que sentimos (bem estar, incômodos, irritabilidade, preguiça) pode ser muito influenciado por micro seres que vivem no nosso intestino. Esses seres são as bactérias e fungos intestinais, conhecidos antigamente como flora intestinal e atualmente como microbiota intestinal.

Já até escutei falar de gente que tinha medo de tomar essas bebidas fermentadas pois tinha medo dos Lactobacillos vivos 😉 Mal sabiam elas que temos mais lactobacillos e bactérias no intestino do que células no nosso corpo!!

O conhecimento sobre a relação desses organismos com nossa saúde é relativamente recente. Foi em 1908 que um cientista russo, Elie Metchnikof, observou que o diferencial de algumas populações bulgáricas que tinham maior longevidade com baixo índice de doenças era o consumo de alimentos fermentados. E foi assim, que ele isolou o primeiro lactobacillus, chamado de Lactobacillos bulgaricus.

Acontece que essa tal de microbiota sempre será povoada por microorganismos benéficos e maléficos, mas o que determina nosso estado de saúde é este equilíbrio entre eles. Quando os maléficos predominam dizemos que há uma disbiose, ou seja este equilíbrio e consequentemente a saúde do seu intestino e corpo como um todo não estão favoráveis!

 O que causa a disbiose?

Um dos principais fatores que determinam esse desequilíbrio é a nossa alimentação. Afinal, antes de absorvermos qualquer tipo de alimento, estes serão “pré digeridos” por essas bactérias. As boas, também conhecidas como probióticos, produzem compostos benéficos ao nosso organismos (o principal deles são os ácidos graxos de cadeia curta) e as ruins compostos tóxicos (alguns deles: putrefinas, caverinas…) que pelo nome já da pra sentir que o resultado (nem o cheiro) são agradáveis, né!?.

Um dos fatores mais agravantes e causadores do desequilíbrio é o uso de antibióticos e medicamentos, assim como uma má alimentação e digestão. Alimentos mal digeridos (já falamos da importância da digestão aqui), alimentos alergênicos, excesso de açúcar (sacarose e frutose), alimentos refinados, proteínas e gorduras animais e adoçantes podem desfavorecer esse quadro.

Já alimentos frescos, ricos em fibras e alimentos fermentados favorecem esse equilíbrio.

A disbiose é uma das principais causas de desconfortos gastro intestinais e hiperpermeabilidade intestinal, que consequentemente permitem a entrada de partículas grandes de alimentos (que não entrariam naturalmente e por isso disparam alergias alimentares) e das próprias partículas das bactérias do intestino (conhecidas como LPS ou lipopolissacarídeos). Uma vez que elas entram em grande quantidade começa toda a confusão, pois este é um disparo para a ocorrência de de doenças de orderm sistêmica (ou seja que desequilibram o corpo todo).

Como tratar a disbiose intestinal?

O reestabelecimento deste equilíbrio é feito por um processo na nutrição funcional chamado de 6 Rs, ou seja – Remover, Recolocar, Reparar, Reinocular, Reequilibrar e Reavaliar.

Remover – alimentos alergêncos, agrótóxicos e aditivos alimentares, microorganismos patogênicos

Recolocar – o adequado funcionamento de enzimas digestivas para melhorar a digestibilidade dos alimentos

Reparar – Reparar a mucosa do estômago e intestino, que muitas vezes estão danificadas e danificadas, para garantir adequada proteção ao corpo e absorção de nutrientes

Reinocular – probióticos e mantê-los vivos com a presença de prébióticos na alimentação

Reequilibrar – os hábitos de vida, afinal nenhum tratamento se mantêm sem a mudança efetiva dos hábitos

Reavaliar – os objetivos e a conduta, adequando a alimentação à cada pessoa e situação

Uma vez feito esse processo, que acontece em médio à longo prazo, é possível se restabelecer o equilíbrio da microbiota intestinal e dar fim à disbiose e suas consequências.

Espero que este artigo te desperte para um novo olhar sobre o seu intestino e a importância que ele tem para sua saúde. Deixe seu comentário contando o que acha desse assunto!

As informações dadas tem o objetivo de compartilhar conhecimento e conscientizar e não substituem a consulta e acompanhamento profissional 

Sobre o Autor

Priscila Riciardi

Priscila Riciardi

Sou nutricionista por paixão! Acredito que a alimentação saudável é um caminho de auto conhecimento e não um monte de regras nutricionais. Para cada pessoa e momento de vida há um alimento e um estilo alimentar. Sempre que posso, adoro criar na cozinha e transformar conhecimento em sabor.

17 comentários em “Disbiose intestinal

  • 7 de fevereiro de 2017 at 10:42
    Deborah Crominski

    Ooii!
    Muito ótimo esse post…
    mas sou intolerante a lactose. Como posso ingerir probioticos para reinocular as bacterias boas do meu intestino?

    Obrigada e parabéns pelas informações! Eu AMO esse blog.

    Reply
    • 9 de fevereiro de 2017 at 12:25

      Olá Deborah!
      Que bacana que gostou do post, obrigada!
      Você pode ingerir probióticos com alimentos fermentados como o kefir, vegetais fermentados ou kombucha ou com o consumo de cápsulas de probióticos mesmo. Uma alimentação rica em fibras solúveis e insolúveis é essencial para mantê-los no ser corpo.
      Abraço, nutri Pri RIciardi

      Reply
  • 21 de fevereiro de 2017 at 11:24
    ALINE FIGUEIREDO

    Olá Priscila e Flávia,

    No ano passado (2016) fui diagnosticada com um quadro de disbiose (fiz o teste respiratório do hidrogênio expirado), depois de várias crises intestinais.
    Minha gastro disse que o que ocasionou esse super crescimento bacteriano no intestino foi o excesso de antibióticos (devido as inúmeras crises de sinusite, rinite e todas as demais “ites” das vias aéreas).
    Há duas semanas fiz vários exames (IgE), nos quais constatou minha intolerância a lactose. Fui a uma nutróloga que disse que tenho síndrome do intestino irritável. Ela me passou uma lista de vários alimentos que não são indicados (entre eles algumas frutas e legumes).
    Gostaria de uma orientação quanto a alimentação mais indicada. Ainda não testei tirar só a lactose para ver os efeitos, mas a nutróloga pediu para retirar vários outros alimentos.
    Minha dúvida é se não seria aconselhável retirar só a lactose, até para saber se resolveria os sintomas que sinto ou se realmente preciso retirar a lista completa passada por ela. Ela me indicou o app FODMAP que possui uma lista bem variada do que pode ou não comer, quem tem a SII.
    Desde já agradeço.
    Esse site tem me ajudado muitooooooo!

    Reply
  • 28 de julho de 2017 at 13:54
    Millena

    Muito bom esse post! Você conhece alguma nutricionista no Rio de Janeiro p indicar?

    Reply
  • 29 de julho de 2017 at 12:08
    rosangela

    Oi adoro pão de padaria mas me faz mal tem dias que parece que estou gravida de uns três meses minha barica fica muito inchada já tentei comer outro tipo de pão mas não comsigo não sei o que fazer

    Reply
  • 29 de julho de 2017 at 14:13
    Lyege

    Olá, Flávia! Tudo bem? Gostaria e saber sobre o Kefir de água. Você sabe algo sobre eles?

    Reply
  • 17 de novembro de 2017 at 14:43
    paula

    Indica algum nutricionista ou gastro em Brasilia?

    Reply
  • 8 de fevereiro de 2018 at 12:00
    Nabil

    kefir no meu caso pioro

    Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *