O que é intestino hiperpermeável

Você sabe o que é intestino hiperpermeável?

Pode parecer uma alteração estranha e rara mas é muito, muito comum e pode ser o seu caso. Um intestino permeável é o disparo para muitas alterações como alergias e intolerâncias alimentares, doenças auto imunes, colite, doença de Crohn e celíaca, doenças inflamatórias, depressão, resistência à insulina e até mesmo o câncer tem sido relacionado. Hoje vou explicar como isso acontece, abordar um pouco dos fatores causais e o que pode ser feito.

O que é intestino hiperpermeável?

O intestino fica hiperpermeável quando sua proteção natural é desestabilizada.Nosso intestino é a primeira proteção do corpo ao mundo externo depois da pele, pois é ele quem faz o filtro do que pode ou não entrar. Esse filtro é feito principalmente pelas junções de aderência (tight junction) e zonulina.

Quando se diz que o intestino está hiper permeável é como se este filtro fosse rompido, permitindo a entrada de moléculas grandes que antes não seriam capazes de entrar. Com a presença destas moléculas, o corpo dispara uma reação imunológica (como um ataque àquilo que o invadiu), desencadeando um processo inflamatório e assim o princípio para várias doenças e reações.

Essa permeabilidade é difícil de ser avaliada por exames. Até existem exames, como o da Manitol lactulose, bastante feito em estudos científicos mas pouco acessível em laboratórios. A principal avaliação é feita por sinais e sintomas, considerando o histórico e contexto de vida da pessoa, o que podem ser feito por um nutricionista funcional.

Uma pessoa com o intestino permeável tende a ser altamente alérgica e intolerante aos alimentos e substâncias, pode ou não manifestar desconforto intestinal como gases e estufamentos. Dores articulares, dor de cabeça e manifestações na pele também são comuns de acontecer e dependendo do grau da inflamação causada, pode ser desencadeado alterações neuro-psicológicas como irritabilidade e depressão.

O que aumenta a permeabilidade do intestino?

 

Leaky gut

 

As principais causas do aumento da permeabilidade intestinal são:

  •      Disbiose intestinal e contaminação por cândida (síndrome fúngica)
  •      Uso abusivo de bebidas alcóolicas e cafeína
  •      Dietas ricas em aditivos alimentares (alimentos industrializados)
  •      Deficiências nutricionais
  •      Estresse excessivo
  •      Alimentos alergênicos
  •      Má digestão
  •      Altas doses de toxinas ambientais (agrotóxicos, poluentes do ar, metais pesados)
  •      Uso crônico de antibióticos e anti-inflamatórios não estereoidais
  •      Menopausa e gravidez

No mundo atual todos nós estamos expostos à todos estes fatores e não é por menos que esse desequilíbrio tem se tornado cada vez mais comum. Mas, antes que você se desespere, vale lembrar que as causas devem ser associadas com os sintomas e também devem ser considerados sua frequência, intensidade e o equilíbrio com os fatores protetores.

Esquema de um intestino permeável: À esquerda a representação de um intestino saudável, à direita a representação de um intestino inflamado e permeável, que leva à má absorção de nutrientes e permite a passagem de macromoléculas para a corrente sanguínea, disparando um processo inflamatório e doenças auto imunes.

O que fazer para melhorar o intestino hiperpermeável?

O tratamento da hiper permeabilidade intestinal é de média a longa duração e deve ser feito com acompanhamento nutricional, pois pode ser complexo e restritivo. Vale a pena lembrar que a manutenção de seu estado depende do adequado equilíbrio no estilo de vida, pois mesmo depois de tratado as alterações podem voltar se os hábitos de vida continuarem inadequados.

A primeira etapa é eliminar os principais fatores causadores, melhorar a digestão e regular a microbiota intestinal. A retirada do excesso de álcool, cafeína, açúcar, alimentos alergênicos, aditivos e contaminantes (como agrotóxicos) é extremamente importante. A regulação do estado emocional e estresse também deve ser acompanha, pois pode igualmente influenciar a saúde intestinal.

Para aqueles que fazem o consumo de psyllium com frequência, é interessante substituir por outro tipo de fibra menos irritante como a biomassa de banana verde. Em alguns casos pode ser interessante também reduzir o consumo de cereais, principalmente os mais glutinosos e com maior teor de saponinas (como a quinoa) além daqueles com glúten. E dependendo do grau e frequência de consumo, também é recomendado a retirada ou redução dos alimentos do grupo das solanáceas (batata inglesa, tomate, pimentão, berinjela, páprica, gojy berry, pepino).A retirada desses alimentos não é definitiva, mas necessária para a recuperação do estado de equilíbrio do organismo.

Também é importante fazer uma avaliação da adequação de nutrientes, pois a deficiência de alguns como a tiamina, zinco, vitamina A, vitamina D, vitamina E e C, B12, ácido podem favorecer o aumento da permeabilidade.

Além de eliminar os principais fatores causadores, devemos incluir alimentos, estados de emoção e suplementos que favorecem a proteção e “fechamento” do intestino, como:

 

      Suplementos ou alimentos probióticos, como o kefir de água, a kombucha e vegetais fermentados

      Alimentos e fitoterápicos antinflamatórios (cúrcuma, gengibre, própolis, chás e vegetais de forma geral)

      Alimentos e fitoterápicos que facilitam a digestão (alecrim, gengibre, erva cidreira, limão)

      Alimentos antifúngicos (cravo, óleo de coco, orégano)

      Alimentos ricos em tiamina, zinco, vitamina A, D, C, B12, ácido fólico e glutamina.

 

E aí, se identificou com este quadro? Se você acha que este é o seu caso recomendo que busque o apoio de um nutricionista funcional, para que te ajude nas etapas desse processo.

Acompanhe o Lactose Não nas redes sociais também, e fique por dentro de todas as novidades do blog! Youtube, Facebook, Instagram e no Snapchat procure por lactosenao.

As informações dadas tem o objetivo de compartilhar conhecimento e conscientizar e não substituem a consulta e acompanhamento profissional 

Sobre o Autor

Priscila Riciardi

Priscila Riciardi

Sou nutricionista por paixão! Acredito que a alimentação saudável é um caminho de auto conhecimento e não um monte de regras nutricionais. Para cada pessoa e momento de vida há um alimento e um estilo alimentar. Sempre que posso, adoro criar na cozinha e transformar conhecimento em sabor.

4 comentários em “O que é intestino hiperpermeável

  • 18 de setembro de 2016 at 10:48
    Suelen

    Excelentes matérias! O Desafio é entender melhor os alimentos que podem e os que não podem. Tenho intolerância a lactose, mas acredito que eu tenha algumas alergias, mas está bem difícil identifica-las. É muito desconforto.

    Reply
    • 26 de setembro de 2016 at 12:43

      OI Suelen, você pode fazer uma tentativa de excluir por um período os principais alergênicos (glúten, laticínios, ovo e soja) e ver se sente melhora. Desconfortos intestinais podem também estar ligados à má digestão e síndrome do intestino irritável. Se os incômodos persistirem procure um nutriconista na sua cidade. Abraço, nutri Pri Riciardi

      Reply
  • 27 de setembro de 2016 at 22:45
    Luana

    Adorei a matéria! A nutricionista Priscila atende em que cidade? Teria alguma indicação de profissional que atua nessa área no RS? Obrigada!!

    Reply
    • 3 de outubro de 2016 at 16:39

      Oi Luana, obrigada! Eu atendo em Curitiba. No RS tem o professor Gabriel de Carvalho! Abraço

      Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *