Porque só parar com o leite e glúten não adianta

Oioii gente!

Há muito tempo estou querendo falar sobre porque só parar com o leite e glúten não adianta quando temos alguma intolerância, sensibilidade ou alergia.

Antes de qualquer coisa, vou deixar bem claro aqui que este texto é voltado para quem, assim como eu, tem alguma alergia, intolerância ou sensibilidade ao leite e/ou glúten. Se o título do post te chamou atenção mas não é o seu caso por favor entenda que aqui não trato dessas duas substâncias como moda ou estratégia para perder peso, ok?!

Celíacos, este texto não serve 100% para vocês. Doença celíaca é doença autoimune e os mecanismos de ação, tratamento, diagnóstico são muito específicos!! Consulte seu médico e seu nutricionista e conversem sobre opções para fortalecer a microbiota intestinal e  diminuir a permeabilidade – alguns médicos não acham que existe benefício quando se tem doença celíaca. Pesquise bastante antes, leia artigos e troque uma ideia com quem acompanha seu caso.

Diariamente eu recebo dezenas de mensagens e e-mails com dúvidas e eu vejo que assim como eu muitos não tiveram atendimento médico ou nutricional de qualidade quando descobriram suas intolerâncias/alergias. Eu já contei boa parte da minha saga aqui no blog (você pode acompanhar todos os post aqui).

Mas vamos relembrar:

Eu sempre passei mal, desde criança. Sempre tive muitos problemas digestivos, muita constipação, dor de cabeça, alergias na pele, crises de rinite, enjoo, inchaço e dores abdominais. Já tinha ido a vários médicos: gastro, homeopata, endócrino, e ninguém tinha relacionado nenhum desses sintomas com minha alimentação – apesar do histórico na minha família de câncer no intestino (meu pai faleceu aos 42 anos).

Em 2009 morei na Austrália e me alimentava mal como a maioria dos intercambistas, basicamente comendo fast food e comida enlatada/congelada. Uma hora meu organismo pifou, fiquei de cama por uma semana e a partir dali não conseguia mais comer. Veja esse post aqui.

Voltei para o Brasil e só fui fazer o exame de IL no início de 2011. Saí do consultório com o resultado positivo e uma lista de produtos que devia evitar (minúscula e sem informação nenhuma) e uma receita para manipular a enzima lactase, que segundo o médico era só tomar uma cápsula antes de comer algo com leite. Parecia simples, fácil e indolor. Foi o que fiz, por quase 2 anos.

O que eu não entendia era porque eu passava mal mesmo assim! Eu tomava a enzima, comia o que queria e poucas horas depois eu estava de cama com enxaqueca, morrendo de dor e com diarréia.

Foi depois de uma super crise que contei aqui, que procurei uma nova nutricionista funcional e juntas descobrimos que eu tinha alergia tardia a proteína do leite e hipersensibilidade não-celíaca ao glúten (sem diagnóstico definitivo, mas que estou em busca até hoje! Dica: se você tem alguma suspeita de alergia NÃO CORTE O ALIMENTO ANTES DE FAZER TODOS OS EXAMES POSSÍVEIS).

*Atualização:

Nesses 5 anos eu pesquisei muito, estudo diariamente o assunto e aprendi muito com profissionais que admiro. Por isso vim aqui dividir com vocês o que aprendi!

1. Apenas retirar da alimentação o alérgeno que te faz mal não adianta! 

Pensa comigo: você passou vários anos da sua vida comendo algo que seu organismo simplesmente não consegue digerir, certo? O seu sistema imunológico, que tem atividade intensa no intestino, tentou por várias maneiras assimilar o alimento, mas não conseguiu. Isso bem provavelmente fez com que você criasse um estado de disbiose intestinal.

A disbiose é quando as bactérias boas e ruins estão em desequilíbrio, neste caso, as ruins estão em maior quantidade e assim você permanece com sintomas diversos, já que a microbiota do seu intestino foi dizimada e não tem quase ninguém lá para segurar a barra que o “só um pouquinho não tem problema” causou.

2. Trocando seis por meia dúzia

Sabemos que a oferta de produtos sem glúten e lactose aumentou muito nos últimos anos né? O que é legal, porque temos mais opções, os preços estão diminuindo, a qualidade aumentando, etc, mas também é muito ruim!!

Explico: entrou na moda e todo mundo quer uma “fatia do mercado” e daí lançam um monte de produto pobre em nutriente, cheio de gordura, açúcar e farinha refinada e vendem como se fosse “funcional”, “fit” ou qualquer outra coisa.

Lembrem que muita comida de verdade não tem glúten e leite naturalmente: frutas, legumes, verduras, arroz, quinoa, feijão, lentilha, carnes, etc.

O queijo “sem lactose” está caro? Não compre, veja aqui quantas opções diferentes para passar no pão.

O pão sem glúten é caro, difícil de encontrar e ainda por cima duro e seco? Faça um em casa (tem várias receitas aqui no blog) ou melhor ainda: INOVE! Coma aipim, batata doce, panquecas, granola, mingau, etc.

3. Se você não fortalecer seu sistema imunológico, você não vai ficar bem tão cedo!

Esses tempos li um livro ótimo chamado O Discreto Charme do Intestino. É de uma médica alemã que explica a ligação do intestino e sua microbiota com o sistema imunológico – leitura obrigatória!

Basicamente é assim: tudo o que você coloca dentro do seu corpo o seu organismo vai dar um jeito de assimilar e transformar isso em novas células. Essas células ora vão construir músculos, ora vão fazer parte do sangue, ora vão auxiliar a combater infecções e inflamações, etc.

Se você come a mesma coisa sempre e, pior ainda, esse sempre é comida pronta, congelada, em saquinhos, enlatada, etc, você simplesmente não está dando opções para seu organismo transformar isso no que ele precisa. O que acontece? Inflamações vão sendo criadas e o sistema imunológico não dá conta de combater. E isso, amigos, é porque se a gente não comer direito a gente não vai melhorar!! Não só a gente, mas qualquer pessoa com qualquer doença (diabetes, obesidade, cardíacos, etc).

Tem que comer verduras, cereais integrais, legumes, frutas, fibras – não adianta correr amores, trocar o iogurte normal pelo zero lactose, o biscoito recheado comum pelo sem glúten e lactose, não vai adiantar nada! É, estou sendo dura e sincera, mas você precisa saber 🙂

4. Normalmente não tem cura, mas tem tratamento!!

Uma alergia/sensibilidade/intolerância normalmente não tem cura (apesar de existirem casos sim!), mas ela tem tratamento e ele faz toda a diferença. Com o tratamento os sintomas e mal-estar vão desaparecendo e se, eventualmente, você comer algo sem querer, você não vai ficar de cama como antes – pelo menos eu não fico mais, passo mal de leves kkkk 🙂

Basicamente o tratamento consiste em:

– Eliminar o alérgeno da alimentação – seja ele glúten, lactose, proteína do leite, ovo, soja, milho, etc

– Fortalecer o sistema imunológico – aqui pode entrar suplementação de vitaminas e minerais (lembram como no meu primeiro exame minha vitamina B12 estava extremamente baixa? Um sinal de inflamação grave no intestino).

– Reparar a microbiota intestinal – fiz esse post falando sobre meu tratamento com glutamina e probióticos. Outras maneiras de cuidar da microbiota: comendo fibras, alimentos prebióticos como a biomassa de banana verde, evitando consumo excessivo de álcool e carboidratos/açúcar, inserindo na alimentação alimentos frescos, integrais e naturais.

Recentemente lancei meu programa online de 6 semanas onde auxilio você a entender melhor sobre a alimentação natural e funcional, além de mostrar como você pode se organizar para conquistar mudança efetiva na sua alimentação e estilo de vida, como eu fiz.

A segunda turma começa na próxima segunda-feira, dia 4 de setembro, e ainda tem algumas vagas. É totalmente online, você pode parcelar em até 10x e tem inúmeros benefícios, como cadernos de receitas com mais de 200 receitas, acesso a comunidade exclusiva no Facebook, organizadores de refeições, menu semanal e listas de compras. Clique aqui para conhecer e fazer sua inscrição 🙂

Tudo isso você deve fazer com acompanhamento profissional! Como sempre digo aqui: não estou falando para você fazer nada sozinho, eu estou dividindo o que passo e o que estudo para te ajudar a entender o que acontece. Eu posso te ajudar até uma parte, mas tenho uma lista de nutricionistas cadastradas ao programa, que os participantes tem acesso exclusivo, para que possa consultar individualmente.

Procure sempre um bom profissional de medicina preventiva, ou gastro, ou nutricionista funcional ou outro que ressoe com você!!! 

Espero ter ajudado queridos!

Se tiverem sugestões para posts futuros deixem aqui embaixo.

 

Sobre o Autor

Flavia Machioni

Flavia Machioni

Oiii, eu sou a Flavia, autora do Lactose Não. Aqui, divido minhas invenções na cozinha, dicas de viagem, mostro meu estilo de vida e passo um pouquinho do que tenho aprendido desde que descobri ter alergias alimentares ao glúten e leite :)

17 comentários em “Porque só parar com o leite e glúten não adianta

  • 1 de fevereiro de 2016 at 13:21
    amanda

    Adorei este post Flavia, pois sofro de várias alérgias *leite, IL , arroz, gluten, cevada, milho,banana, uva clara de ovo crustáceos…* imagina meu desespero qd fiz o ige destes alimentos, sério, fiquei muito mal, pq se n posso gluten n posso nada c farinha de arroz e o q eu como?
    Vou começar a fazer meu tratamento de seis meses sem esses alimentos e tomando probioticos etc… mas só de nao comer alguns desta lista já me sinto bem, mas preciso fazer esse tratamento p refazer meu instinto q deve tá sofrido, nunca imaginei ter tanta alérgias, por isso q tudo me fazia mal.
    Waleu Flavia
    bjus amo seu blog

    Reply
  • 1 de fevereiro de 2016 at 13:22
    Clarice

    Olá!
    Sou Clarice, moro em Brasília, e me identifiquei muito com seu relato…Já fui diagnosticada com intolerância à lactose, mas ultimamente tenho tido muitos problemas intestinais, o que me tem alertado para possíveis outros problemas….Você me recomenda algum especialista em Brasília? E tem previsão de cursos aqui?
    Gratidão!

    Reply
  • 1 de fevereiro de 2016 at 13:28

    Além do gluten e lactose tenho hipersensibilidade a carne vermelha. Sempre temos que ficar atentas a tudo que comemos pq muitas vezes nem sabemos o que nos faz mal. Beijos.

    Reply
  • 1 de fevereiro de 2016 at 15:04
    Heloisa

    Ótima colocação quanto “o que comer agora que não posso com certos alimentos?”. Muitas pessoas me perguntam: o que vc come então???? eu repondo: comida. Vejo que a preocupação de muitas pessoas com intolerâncias é não poder comer biscoitos, chocolate, doces, sorvetes, etc., enfim só o que não presta. Tem muito alimento bom, é só procurar receitas e ter um pouco de boa vontade; podemos passar vontade mas fome jamais!!

    Reply
  • 1 de fevereiro de 2016 at 15:51
    Barbara Oliveira

    Descobri a IL há alguns meses e ainda estou investigando sintomas de possíveis outros problemas intestinais. Duas dúvidas que tenho sobre a IL: Ela é causa direta de gastrite, esofagite, perfurações no intestino ou câncer de intestino? É verdade que o consumo de enzima vai enfraquecendo com o tempo (quanto mais enzima eu tomo, vou precisar de doses maiores com o tempo pq ela vai perdendo efeito no organismo)? Eu também sempre passei mal desde criança, tenho usado a enzima, consumo produtos com traços e ainda tenho alguns sintomas.

    Reply
  • 1 de fevereiro de 2016 at 17:24
    Patricia

    Olá Flavia adorei o texto perfeita a explicação! Todos os dias na sentia mau ,sono , irritação, intestino preso e dor no abdômen qdo comia,primeiro foi por minha conta e risco fui retirando o leite, trigo ,sal e açúcar refinado !Me senti muito bem aí marquei um ortomolecular e fiz o teste salivar e incrível estava lá o resultado!
    Hoje faço cookies,bolos, pães p vender td sem glutem e lactose e integrais,enfim estou muito bem e feliz gde bj adoro suas dicas! Patysaudavel

    Reply
  • 1 de fevereiro de 2016 at 17:51
    Karam

    Flavia, muito esclarecedor o seu post. Obrigado.
    Uma vez eu li um livro que se chama o cérebro desconhecido: como o sistema digestivo afeta nossas emoções, regula nossa imunidade e funciona como um órgão inteligente https://g.co/kgs/EjXwN … foi uma descoberta muito antes de eu começar a pensar em adotar uma linha mais saudável na alimentação. Eu gostaria de compartilhar que muitas vezes nossa reação aos alergenicos não são imediatas ou fortes o suficiente para nos deixar de cama, por isso nem imaginamos que o que estavam os sentindo era alergia alimentar. Como foi o meu caso. Tive vários sintominhas que não me levavam a nenhum diagnostico, dores de cabeça, tontura, cansasso… achava que era somente o stress, mas a minha nutricionista me ajudou a trabalhar esse stress com a alimentação. A regra dela é rodiziar os alimentos… Grande abraço e parabéns pelo trabalho.

    Reply
  • 1 de fevereiro de 2016 at 17:53
    raquel

    Oi Flavia,
    É praticamente a história da minha vida! Eu tive uma ajuda enorme com o resultado do food detective. Apareceram alimentos que eu nunca poderia imaginar. Eliminei todos eles e testei um por um e realmente comprovei que o exame estava certo no meu caso. Fiz o tratamento com uma nutri funcional, bem parecido com o que você relatou e demorou um pouco mas depois de um ano eu já tinha recuperado a tolerância de alguns alimentos. Tenho certeza que o leite e o trigo ficarão para sempre fora da minha dieta… Só fui descobrir tudo isso após os 40 e acho que agora será difícil recuperar 100%! Mas vamos ver! A dieta me garante uma vida social normal e quando te vejo levando a marmita para as festas crio mais coragem de andar com as minhas também! Espero que você descubra o que está procurando mas sei que esses exames judiam demais também. Nesse caso se você não fez nenhum exame como o food detective, vale a pena tentar com alguma nutri da sua confiança. Foi assim que eu encerrei anos de exames e consultas que não traziam resultados e aumentavam a minha angústia… Beijos e obrigada sempre pelas suas dicas!

    Reply
    • 25 de fevereiro de 2016 at 11:09
      Renata

      Oi Raquel,

      Estou nesta fase de investigação do que me faz mal, já descobri intolerância à lactose. O food detective é feito pela nutricionista? Você conhece alguma nutri funcional em Salvador?Obrigada!

      Reply
  • 1 de fevereiro de 2016 at 17:54

    Olá, meu filho tem intolerância a.lactose fortíssima, eu cortei tudo com lactose da alimentação dele, e se comer algo que tenha ele vai para o hospital, vai p o soro c medicamentos, único jeito de melhorar…mas estou controlando e ele está bem.melhor graças a deus..

    Reply
  • 1 de fevereiro de 2016 at 18:32
    Sonia

    Amem

    Reply
  • 1 de fevereiro de 2016 at 21:59
    Selene Façanha

    Adorei o relato! Sou celíaca e gostaria da indicação de um nutricionista
    aqui no RJ.
    Gostaria também de saber novidades sobre os problemas citados!
    Obrigada,
    Selene

    Reply
  • 2 de fevereiro de 2016 at 11:52
    Rose

    Oi Flávia, tudo bem?
    Sou intolerante a lactose mas nunca foi incapacitante era só evitar leite e afins em jejum. Porém em 2013 meu intestino entrou em colapso fui ao pronto-socorro com a barriga muito inchada (não houve diagnóstico) e comecei a tomar Omeprazol e suco de couve, mas de tempos em tempos a dor volta o inchaço é constante. Voltou forte um dia em que comi mingau de aveia com leite sem lactose e ai parei com o glúten, mas de tempos em tempos a dor, o inchaço, tudo volta…
    Tenho consulta com alergista e vou fazer endoscopia, mas a dor nunca foi no estômago e sim no intestino. O seu relato é importante e muito parecido de certa forma com o meu.
    Obrigada,
    Vou mandar um e-mail para você.
    Rose

    Reply
  • 4 de fevereiro de 2016 at 16:03
    Mariana C.

    Oi Flávia, descobri a intolerancia a lactose essa semana e ainda estou um pouco assustada com o que comer pois tenho colesterol elevado. Adorei o post e todo o blog. Esse workshop não tem disponível online?
    Obrigada

    Reply
      • 24 de março de 2016 at 7:12
        Iracema Teixeira

        Flavia, por gentileza, quero as indicações de médicos, onde comprar.. .enfim, tudo que vc tiver, de Belo Horizonte e São Paulo.

        Reply
  • Pingback: Dúvidas mais frequentes - Intolerância à Lactose - Lactose Não

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *