Síndrome fúngica – a ligação entre o intestino e candidíase

Texto da nutricionista Pri Riciardi  CRN 89694- nutripri_riciardi

 

Já escutou falar sobre a síndrome fúngica? Pode ser que não, mas é muito provável que a tenha e nem saiba disso.

 

Cerca de 40% dos pacientes que eu atendo tem síndrome fúngica e nem imaginam do que se trata.

 

A candidíase é uma das manifestações da síndrome fúngica, mas você também pode ter a síndrome e não ter candidíase.

 

Aproveitei que a Flávia começou a abordar sobre esse tema para falar um pouquinho mais dele pra vocês. Adoro estudar sobre a síndrome fúngica não por um mero acaso – já sofri muito com ela na adolescência até descobrir que todos os sintomas que pareciam desconexos tinham nome – Síndrome fúngica.

 

Na época eu sentia dores de cabeças pavorosas, tinha um vício absurdo por doces, tinha momentos de letargia e uma sensação de estar aérea quase que fora do corpo, tinha corrimento vaginal frequente e o intestino sempre preso.

 

Pra entender melhor

Todos temos o fungo Candida albicans no intestino. Quando este fungo se prolifera em maior quantidade temos um tipo de disbiose (já falamos mais sobre ela aqui). Quando esse desequilíbrio favorecendo um aumento não só das bactérias, mas também dos fungos dizemos que há a síndrome fúngica.

Apesar de estarem no intestino eles impactam no corpo como um todo, pois as partículas da cândida (chamadas LPS) entram e disparam reações inflamatórias e de imunidade.

 

PRINCIPAIS DOENÇAS E SINTOMAS RELACIONADOS À SÍNDROME FÚNGICA:

– Doenças auto imunes (tireoidite de hashimoto, psoríase, artrite reumatóide, lúpus, fibromialgia)

– Uma fome aumentada quando come maçã

– Enxaqueca

– Micoses de repetição

– Infecção urinária

– Queda de cabelo

– Cansaço crônico e constante

– Lentidão do pensamento

– Sensação de letargia, como se tivesse fora de si

– Necessidade constante e exagerada por doce

– Bolinhas atrás do braço

– Corrimento vaginal

– Candidíase

– Ansiedade

– Língua esbranquiçada

– Alteração de humor frequente (principalmente quando está com fome)

– Hipoglicemia (tem muita fome!)

– Distúrbios intestinais e intolerâncias alimentares diversas

– Autismo (veja aqui)

– Deficiência de vitaminas (difíceis de serem tratadas)

 

FOME AUMENTADA COM MAÇÃ

Esse sintoma é bem característico de quem tem síndrome fúngica bem desenvolvida. Quem sente ou já sentiu isso tem muito claro quando e como isso acontece.

Você come maçã e logo depois tem um aumento exagerado da fome, parece que abre um buraco no estômago. Associado à isso geralmente vem uma alteração de humor e a impaciência na espera por comer.

Isso acontece porque a maçã é uma das frutas com maior quantidade de uma substância chamada arabinose, um carboidrato que ao ser fermentada por fungos produz ácido tartárico, uma substância hipoglicemiante (provoca a queda de açúcar no sangue).

Quando temos muitos fungos, temos muita produção de ácido tartárico e como consequência um quadro de hipoglicemia que gera a fome e a irritabilidade.

 

GASES E DESCONFORTOS INTESTINAIS

Quanto mais desequilibrada a microbiota do seu intestino, maior será sua produção de gases e menos você será capaz de tolerar alimentos que fermentam como os enxofrados (ovo, repolho, acelga, alho, brócolis) ou aqueles com alto teor de fibras – leguminosas (feijão, lentilhla), sementes, alguns vegetais e frutas.

O conceito de síndrome fúngica já foi muito banalizado entre nutricionistas, pesquisadores e no meio científico. Mas estudos bem recentes têm começado a falar sobre o assunto com seriedade (para saber mais procure no Pubmed por Candida Albicans e Mycobiota) relatando o super crescimento de Candida albicans a diversas manifestações como Alzheimer, Síndrome do Ovário policístico, obesidade e até câncer!

E aí, se identificou com esse quadro?! Nos próximos post vou falar mais sobre as causas da síndrome, o que evitar e introduzir para o tratamento e suas relações com alterações hormonais. Fiquei ligado aqui!

Aproveite e compre o e-book com receitas de café da manhã e lanche sem glúten, leite, açúcar e carboidratos refinados para auxiliar no tratamento! Apenas R$24,90, clique aqui. 

Para conferir outros posts sobre o assunto, na semana especial que a Flavia está fazendo, clique para o primeiro, segundo e terceiro post sobre candidíase e intestino.

Pri Riciardi – CRN8-9694

Nutricionista clínica funcional – nutripririciardi.com.br

Post no meu site.

Sobre o Autor

Priscila Riciardi

Priscila Riciardi

Sou nutricionista por paixão! Acredito que a alimentação saudável é um caminho de auto conhecimento e não um monte de regras nutricionais. Para cada pessoa e momento de vida há um alimento e um estilo alimentar. Sempre que posso, adoro criar na cozinha e transformar conhecimento em sabor.

35 comentários em “Síndrome fúngica – a ligação entre o intestino e candidíase

  • 11 de maio de 2017 at 11:49
    Ana

    Ótimo artigo. Você poderia passar um tratamento básico pra gente, já q e tão difícil achar profissional que trate isso e ignore sua existência. Minha gastro por exemplo sequer cogitou. Deve existir um medicamento básico e um prazo de utilização que sirva a princípio a todos, fora a alimentação. Preciso fazer esse teste pra ver como fica minha microbiota e os sintomas. Agradeço.

    Reply
    • 21 de junho de 2017 at 9:51

      Oi Ana, mudanças alimentares são o princípio do tratamento, mas a morte dos fungos precisa de suplementos e fitoterápicos. Veja a dica dos outros post, mas o tratamento completo só com acompanhamento mesmo.:)

      Reply
  • 11 de maio de 2017 at 19:39
    Camila

    Nossa fantástico o post. Irei compartilhar com as minhas amigas pois é um assunto que todas podemos passar ou passamos. Muito obrigada! Irei acompanhar todos.

    Reply
  • 11 de maio de 2017 at 20:34
    Manuella

    Caramba, eu fiquei chocada que tenho todos esses sintomas e nunca achei que estavam relacionados! Quero muito saber como tratar, ansiosa pelo próximo post já. Obrigada por essa informação excelente!!

    Reply
  • 11 de maio de 2017 at 20:39
    Milenna Shushanof

    E como se diagnóstica isso? Exame de fezes? Pq os sintomas são comuns e semelhantes a outras causas também!

    Reply
    • 21 de junho de 2017 at 9:49

      Milenna, pode-se fazer o exame de hidrogênio expiralado ou IgG para cândida, mas os sinais são padrão ouro. Eles são comum, mas a coexixtência associado com histório de saúde e alimentar ajuda o nutricionista a fechar o diagnótico.

      Reply
  • 11 de maio de 2017 at 21:26
    Elaine Araujo

    Que artigo maravilhoso, fui me identificando com cada parágrafo, e descobrindo que o que achava que eram características munhas, na realidade são sintomas de uma doença que nem sabia que existia. Gostaria de saber como começar a procurar tratamento aqui no Rio de Janeiro, um caminho para começar a minha busca por uma qualidade de vida.
    Parabéns!

    Reply
    • 21 de junho de 2017 at 9:48

      Olá Elaine, que bom que se achou! Saber a causa é o primeiro passo para mudança. Não tenho indicações aí no Rio, mas recomendo procurar uma nutri funcional. Bj

      Reply
      • 3 de agosto de 2017 at 14:50
        Marina

        voce tem alguma nutri pra indicar em Campinas/SP?

        Reply
      • 27 de outubro de 2017 at 17:38
        Silvia Chales

        Boa tarde, sou do RJ, é tenho sofrido bastante com esses sintomas…
        Vc pode me indicar uma nutri aqui ?
        Desde já obrigada!
        [email protected]

        Reply
  • 11 de maio de 2017 at 22:33
    Camilla

    😱😱😱 genteee, nunca tinha associado. Eu pensei que todo mundo sentia uma fome absurda depois de comer maçã!! E os outros sintomas, achei que era decorrente da falta de regras que estou na alimentação, acabei consumindo glúten, e pensei que esse era o motivo de tudo estar meio que “errado” … Sabe quando parece que vc já acorda errada!? Irritada fácil, barriga inchada e gases, corrimento… agora td faz sentido!!!

    Reply
    • 21 de junho de 2017 at 9:47

      Que bom que está fazendo sentido Camila! Sim, seu intestino está desequiibrado e tudo isso vem dele!

      Reply
  • 11 de maio de 2017 at 23:59
    Anna

    Me identifiquei com todas suas descrições!!😱
    Ótimo artigo, muito esclarecedor.😉

    Reply
  • 12 de maio de 2017 at 6:24

    Quando vc postará mais informações? Me identifiquei muito. Nem sabia que isso existia…
    Obrigada!!!

    Reply
    • 21 de junho de 2017 at 9:46

      OI Aline, ja fiz mais post sobre o assunto aqui. Veja lá!

      Reply
  • 12 de maio de 2017 at 7:07
    Daniela

    Amei o post, quero o Instagram dessa nutricionista. Passei em consulta com um médico renomado, e com sua nutricionista, relatei esses desconfortos e eles não resolveram . Quero me consultar com ela! Obrigada!

    Reply
  • 12 de maio de 2017 at 7:25
    Carla

    Obrigada pelo artigo. Parece que acontece mais com mulheres? É isso?

    Reply
    • 21 de junho de 2017 at 9:44

      Sim Carla, as mulheres são mais afetadas pois um maior nível de estrógeno também favorece a proliferação de candida no intestino. 🙁

      Reply
  • 12 de maio de 2017 at 10:25
    Denise

    Nossa! Me identifiquei muito! Nunca consegui achar um motivo pra mimha letargia, cansaço extremo e distração! E vários outros sintomas batem com o que eu sinto! Vou acompanhar de perto as postagens!!!

    Reply
    • 21 de junho de 2017 at 9:43

      Que bom que se identificou Denise, o primeiro passo é saber o que se tem!

      Reply
  • 13 de maio de 2017 at 15:06

    Muito bom o post Priscila!
    eu tenho uma dúvida.. e referente a menstruação? nao seria um sintoma? nao menstruo faz dois meses (e eu nao estou grávida.. tenho 100% de certeza disso haha)

    aproveito e deixo aqui um link de dois videos que fiz relatando a minha intolerancia a lactose..
    o primeiro sao sobre os sintomas: https://www.youtube.com/watch?v=FXTWIdipdJ0

    e o segundo:
    – Como foi a consulta médica
    – Quais são os exames e como foi o processo de fazer-los
    – Como é fazer o exame de intolerancia a lactose
    – Quais medicamentos tem lactose
    – Dicas de como usar a enzima
    – Dicas de como alertar outras pessoas sobre as suas alergias/intolerância, caso algo aconteça
    – Desabafo de como a sociedade ainda precisa entender que a intolerância é algo que deve ser levado a sério

    espero que te ajude
    https://www.youtube.com/watch?v=BE_b6kl1K90

    Reply
    • 21 de junho de 2017 at 9:43

      Oi Luani,

      A ausência de menstruação tem vários fatores, mas um deles pode ser impactado pela candida indiretamente sim. O ideal é verificar se não está com SOP e como estão os seus níveis hormonais.

      Reply
  • 13 de maio de 2017 at 16:38
    Camila

    Olá, tb achava que maçã dava mais fome só em mim kkk
    Você poderia fazer um resumo do que evitar e do que comer pra nós né.. 🙂
    Obrigada!!

    Reply
    • 21 de junho de 2017 at 9:41

      OI Camila, fiz outros posts falando mais sobre o que comer e não comer!

      Reply
  • 13 de maio de 2017 at 22:49
    Thania

    Existe algum exame para diagnosticar a síndrome fúngica e a candidíase intestinal?
    Me incentivou muito com os sintomas.

    Reply
    • 21 de junho de 2017 at 9:41

      OI Thania, você pode fazer o exame de hidrogênio expirado e IgG para candida, mas os sinais são o melhor padrão de análise.

      Reply
  • 17 de maio de 2017 at 23:30
    caryne amaral

    Como consigo reduzir a acidez do kefir ?quando tomo tenho refluxo

    Reply
    • 21 de junho de 2017 at 9:42

      Quanto mais tempo fermentar mais ácido ficará. Se não se sente bem, recomendo não tomar.

      Reply
  • 22 de junho de 2017 at 20:38
    Rosana

    Olá Priscila, eu me identifiquei com o seu artigo. Em 4 meses tive 4 episódios de cândida e tenho muitas intolerâncias.
    Quero saber como curar.

    Reply
    • 10 de setembro de 2017 at 21:32

      Oi Rosana, aqui no blog tem algumas dicas, mas o ideal é você procurar um nutricionista e fazer um acompanhamento individualizado!

      Reply
  • 25 de setembro de 2017 at 0:11
    GISELE

    Olá, A quase 3 meses estou com uma diarréia…procurei um médico e estamos investigando. Somente 3 da centena de exames que fiz deram alterados. O de intolerância a lactose, o de que indica inflamação no intestino e de gordura nas fezes aumentado. Com isso ele me pediu uma colonoscopia . Nela o intestino estava totalmente limpo. Mesmo assim colheu algumas amostras pra biópsia pra eliminar qualquer dúvida. Mas tenho muitos dos sintomas descritos. A 1 ano passei por uma cirurgia bariátrica e estava com medo de ter relação com isso. Mas já foi descartada. Estou com muito corrimento, na verdade sempre tive. Lentidão, vontade por doces a vida toda e nos últimos meses aumentou. Ansiedade nem se fala. Depois que comecei a tomar Provance, as idas ao banheiro diminuíram, mas não normalizou . Posso ter síndrome fungica? Estou desesperada por um diagnóstico, pois já tirei o leite e o glúten e nada de melhorar!

    Reply
  • 16 de novembro de 2017 at 0:24
    Lari

    Indicações em Brasília?

    Reply
  • 19 de novembro de 2017 at 16:50

    Estou a 3 anos sofrendo de candidiase genital,anifungicos não curaram.Tenho alguns dos sintomas que foram descritos acima!Não sei o que fazer,onde moro não tem nutricionistas,nem medicos especilialistas para me acompanhar no tratamento

    Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *