Candidíase e o Intestino

Talvez você esteja achando estranho eu falar sobre a candidíase e o intestino no mesmo post, mas se você ainda não sabe da íntima ligação dos dois, vem comigo que vou te ajudar a entender.

A cândida é um fungo (Candida albicans) que está presente na nossa microbiota intestinal naturalmente. Quando existe qualquer desequilíbrio na microbiota (flora) intestinal os fungos se proliferam dando origem a candidíase.

Eu, até uns anos atrás, só conhecia a candidíase vaginal. Aquela que dá coceira, ardência, corrimento e que nossas mães e avós nos alertavam para não ficarmos com biquíni molhado, roupas muito apertadas, calcinha de tecido sintético, etc.  Sempre achei que candidíase estava ligada ou a esses costumes ou a relações sexuais.

Qual não foi minha surpresa ao saber, em uma das minhas diversas consultas com minha nutricionista  (Juliana Trevilini, contato dela aqui) em uma das muitas etapas do meu tratamento, que eu estava com candidíase intestinal.

A candidíase e o intestino viram assunto da mesma conversa a partir do momento em que sua microbiota intestinal está tão devastada que as bactérias boas estão em menor número, enquanto os fungos e bactérias ruins, estão em grande quantidade, o que se chama disbiose. A nutri que escreve aqui para o blog, Pri Riciardi, falou sobre a disbiose intestinal neste post aqui, que vale a leitura.

Vocês sabem que desde meu diagnóstico inicial de intolerância à lactose (2011) até hoje eu já passei por mil fases de tratamento e descobri mil coisas em relação à minha saúde, né? Como comentei no post de ontem, em 2014 a minha nutri passou um tratamento baseado em dieta anti-fúngica para que eu pudesse me reequilibrar.

Minha alimentação é livre de lácteos e glúten há muitos anos já, mas eu tive uma fase em que tudo o que comia me fazia mal. Comecei a suspeitar que tinha outras intolerâncias e alergias, e só de pensar em ter que começar a investigar tudo novamente e fazer novas alterações na minha dieta me deixava desanimada.

Eu estava me sentindo mal há meses, com crises mais fortes eventuais. Posso dizer que de novembro de 2013 até janeiro de 2015, minha vida se resumia em:

  • Ficar estufada com basicamente qualquer alimento que eu consumia (lembrando que eu já não consumia leite, derivados e glúten)
  • Ter dores abdominais fortíssimas
  • Gases
  • Candidíase recorrente – acho que pelo menos 1 vez a cada dois meses eu estava com candidíase vaginal.

Neste período em que tudo aconteceu alguns fatores colaboraram para eu chegar ao ponto em que estava. Só consigo analisar isso hoje em dia, depois que passou, mas vai que lendo meu relato você se identifica e eu consigo te ajudar de alguma maneira.

Foi uma época bem difícil para mim, pois ao mesmo tempo ocorreram mudanças bem significativas na minha vida envolvendo meu trabalho e relacionamentos. Para você entender:

  • Eu tinha recentemente sido mandada embora do meu emprego e tinha decidido me dedicar 100% ao blog. Lembram deste post?
  • Com isso, minha rotina mudou completamente e eu demorei muito tempo para me adaptar a não ter mais horários e um chefe. Tipo muito mesmo, deve ter sido ano passado só.
  • Tinha recém começado um relacionamento que acabou sendo bem complicado. Em todo esse período que eu falei, tive muitos altos e baixos e isso afetou tudo.
  • Estava trabalhando com produção e encomendas em Curitiba, fazia congelados para vender e doces e bolos para festas. Isso fazia com que eu passasse muito tempo na cozinha fazendo testes. Nesta época, com a ansiedade de uma nova rotina e de um novo trabalho, os problemas do meu relacionamento e a enorme oferta de doces, eu acabei desenvolvendo compulsão alimentar. Tinha dias que eu comia 1 bolo inteiro da produção.

Tortinha de ganache de chocolate e morangos sem glúten e lactose que eu vendia. Receita aqui.

Com esses três cenários consigo explicar para vocês quais são as causas mais comuns para a candidíase:

  • Imunidade baixa
  • Inflamação intestinal
  • Stress
  • Uso de antibióticos
  • Dieta rica em açúcares e carboidratos simples
  • Dieta inflamatória

Por isso, se você tem alguma intolerância alimentar, é celíaco ou simplesmente está passando mal constantemente e não consegue descobrir porque, consulte um bom nutricionista funcional ou médico atualizado e especializado, e vejam se este pode ser seu caso.

A candidíase intestinal ou recorrente é um quadro MUITO comum. Muito mesmo, gente. Ela não atinge só mulheres não, muitos homens têm candidíase intestinal devido a alimentação pobre em nutrientes, stress e uso de antibióticos.

Aqui no Brasil, ainda se fala pouco sobre isso, temos apenas algumas nutricionistas e médicos que abordam o tema. Nos EUA, isso é tão comum que o mercado de suplementos naturais, livros, e-books, estão lotados com produtos e dietas para “yeast infection”.

Arrisco a dizer que logo vocês vão ver nas prateleiras produtos similares por aqui. Tenho observado vários artigos acadêmicos e posts em sites falando sobre o assunto.. pense que quando “virar moda” você já vai conhecer tudo hihihi.

Lembrando que este é o segundo post de uma série de 7 sobre candidíase, intolerâncias alimentares e intestino. Para ler o primeiro, clique aqui.

No post de amanhã eu vou falar sobre o tratamento que fiz para eliminar a candidíase recorrente.

Aproveite e compre o e-book com receitas de café da manhã e lanche sem glúten, leite, açúcar e carboidratos refinados para auxiliar no tratamento! Apenas R$19,90, clique aqui.

Não esqueça que lá no Instagram estou postando dicas e receitinhas, tudo com a #tchaucandi.

Um beijo!

 

 

Sobre o Autor

Flavia Machioni

Flavia Machioni

Oiii, eu sou a Flavia, autora do Lactose Não. Aqui, divido minhas invenções na cozinha, dicas de viagem, mostro meu estilo de vida e passo um pouquinho do que tenho aprendido desde que descobri ter alergias alimentares ao glúten e leite :)

4 comentários em “Candidíase e o Intestino

  • 11 de maio de 2017 at 0:57
    Ana carolina

    Oi Flávia!
    Me identifico muito com tudo que vc falou nesses dois posts. Há uns 2 anos tirei o glúten e a lactose da minha rotina e inclui a ingestão de probióticos por orientação de uma nutri. Percebi melhoras em muitos aspectos, porém a candidíase insiste em voltar! Fui em vários médicos, mas eles só tratam o sintoma e isso não resolveu o problema. Estou aguardando atentamente pra ver como vc eliminou a candidíase da sua vida! Obrigada por compartilhar! Beijos

    Reply
  • 11 de maio de 2017 at 8:20
    Sheila

    Flavia amo seu blog e estou vivendo essa etapa de descoberta e desconfortos….vc conhece uma boa nutricionista no Rio???
    Tbm amo suas receitas e estou me inspirando para cair de cabeça nas receitas e trabalhar com isso….alguma dica? Bjs obrigada

    Reply
  • 1 de junho de 2017 at 21:36

    Gente, parece minha minha vida, vivida por outra pessoa, foi bem assim em 2015, várias mudanças, fim de faculdade, internações de meus pais em UTIs, problemas de relacionamento e familiares, além de problemas no meu ambiente de trabalho, tudo acumulado e de uma única vez, resultado, super estresse, meu intestino não aguentou, entrei em crise com muitas dores abdominais, variações no tipo de fezes e gases, fui p gastro e fiz exames, não deu outra, intolerâncias alimentares e disbiose, fiz dieta com restrições e reposição da flora e melhorei quase 100% no ano de 2016. Depois que fiquei melhor voltei a consumir de forma discreta a lactose, ai pronto, voltou tudo de novo. Hoje não consumo de forma alguma a lactose e o glúten e minha nutri receitou um pool de pré e probióticos para restaurar minha flora pois estou com disbiose outra vez, e sempre tenho candidíase. Flávia sigo sempre suas dicas, são pessoas como você que nos ajudam a trilhar esse árduo caminho digestório. Um abraço

    Reply
  • 22 de junho de 2017 at 0:05
    Paula leal

    Oi, gostaria de fazer um tratamento para acabar com a minha candida albicans. Já fui em mil médicos e ninguém fala sobre isso. Você tem alguém para indicar? algum médico ou nutricionista?

    Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *