O corvo, o cisne e a dieta

Se você acha que dieta é coisa de tempos modernos, está enganada. O termo tem origem na palavra grega diaita. Só que para os gregos, diaita não significava frango, batata doce e brócolis: seu sentido estava mais próximo a estilo de vida.

As Fábulas de Esopo são um dos registros mais antigos dessa palavra, senão o mais antigo, acreditam alguns pesquisadores. Na fábula do Corvo e do Cisne, o corvo quer se tornar um cisne. Par isso, adota a diaita do cisne: nada nas mesmas águas, mora no mesmo lugar, come as mesmas coisas.

Foto: @andreolileonardo

Corta para os dias de hoje

A palavra diaita foi se transformando e virou dieta, que significa o conjunto de alimentos e bebidas ingeridos usualmente por alguém. No entanto, é interessante observar que, muitas vezes, atribuímos a esse único aspecto os problemas e soluções de todo o nosso estilo de vida. Por exemplo:

O dia a dia de Duda é bem acelerado, mas ela adora. Conciliar tantas atividades às vezes gera estresse, e Duda fica agitada e não consegue dormir. No jantar, agora ela come banana, ovo, linhaça, grão de bico, couve e amêndoas, porque viu numa reportagem que esses alimentos ajudam a dormir melhor.

Outro exemplo:

Marcinha odeia seu trabalho: sua hora preferida é quando acaba o expediente. Ela anda meio indisposta, por isso passou a tomar alguns chás estimulantes. Ela também sofre com dores de barriga, já cortou vários alimentos na esperança de melhorar. Porém, mesmo sabendo que não lhe faz bem comer certos doces, Marcinha acaba descontando a ansiedade em uns bombons no caminho para casa.

Percebe que as estratégias das nossas amigas Duda e Marcinha talvez não deem certo? Isso porque não solucionam o real problema. Claro que melhorar a alimentação ajuda em muitos aspectos, pode até transformar vidas. Mas não é capaz de resolver tudo.

Trouxe essa reflexão porque vejo pessoas angustiadas porque mesmo depois de mudar a dieta, ainda não se sentem bem. “E se eu comer mais espinafre?” “Será que meu kefir tá fazendo efeito?” “Não consigo parar de comer doces, um detox deve resolver!”. Em vez de seguir esse raciocínio, vamos tentar ampliar nossa visão?

A alimentação pode melhorar muitos aspectos da nossa vida, vamos aproveitar que temos acesso a tanta informação de qualidade! Restrições alimentares também merecem atenção especial.

Mas precisamos lembrar que nem todas as soluções passam pelo prato.

PS: conhecem a fábula do corvo e do cisne? Acham que o corvo conseguiu virar cisne só mudando a sua “diaita”? Fica mais uma reflexão :*

Sobre o Autor

Carla Vailatti

Carla Vailatti

Oi, eu sou a Carla Vailatti, jornalista e intolerante à lactose. Vivo em negociação com meu corpo, porque tento ouvi-lo, mas ele pede muito chocolate. Acredito que todos precisamos buscar informações para sermos protagonistas da própria saúde.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *