Alimentos orgânicos: o que são? Por que custam mais?

Os alimentos orgânicos são inacessíveis para muitas pessoas, seja pelo preço, seja pela dificuldade de encontrar. Além disso, eles ainda são pouco conhecidos: muita gente torce o nariz logo de cara, achando que são coisas naturebas demais, com preços fora da realidade e sabor duvidoso, mas não é nada disso!

É fato que os preços em geral são mais elevados, mas considerando o custo benefício, talvez compense. Ter uma alimentação toda orgânica é um luxo para poucos, mas fazer boas escolhas, independente das nossas limitações, é algo ao alcance de qualquer pessoa. Diminuir industrializados, ter mais consciência ao se alimentar e experimentar novos sabores são mudanças possíveis mesmo para quem tempo e dinheiro limitados, por exemplo. Então, nada de achar que tudo está perdido só porque os orgânicos não são uma realidade para você.

Mas você sabe o que torna um alimento orgânico? Não ser cultivado com agrotóxicos é apenas uma das suas características. A preservação do meio ambiente e a qualidade de vida dos trabalhadores estão entre os compromissos necessários para se obter a certificação. Essa é uma das razões pelas quais eles muitas vezes custam mais.

Características dos alimentos orgânicos

  • Para ser considerado orgânico, o produto deve ser cultivado em um ambiente que considere sustentabilidade social, ambiental e econômica e valorize a cultura das comunidades rurais;
  • A agricultura orgânica não utiliza agrotóxicos, hormônios, drogas veterinárias, adubos químicos, antibióticos ou transgênicos em qualquer fase da produção;
  • O sistema orgânico busca o equilíbrio do ecossistema para resultar em plantas mais resistentes a pragas e doenças. Para isso, os produtores utilizam o rodízio de culturas e diversificação de espécies entre e dentro dos canteiros;
  • Muita gente acredita que os produtos orgânicos são menores, mais feios e até menos saborosos, mas isso é um mito! Alguns apresentam sim características diferentes dos equivalentes não orgânicos, mas isso não significa qualidade inferior;
  • Para produtos industrializados serem considerados orgânicos, o processo de industrialização deve respeitar normas semelhantes às do cultivo. Para ser considerado orgânico, o produto deve ser composto de no mínimo 95 % de ingredientes desse tipo. Os que têm proporção menor só podem ser chamados de “produto com ingredientes orgânicos” e essa porção tem que ser de, no mínimo, 70 %. Já os com menos de 70 % de ingredientes orgânicos não podem ser vendidos como tal e não podem ter o selo brasileiro.

Escolher alimentos que promovem saúde é uma das formas de cuidar de si e da família. Se você quer ir além, obter mais informações e colocá-las em prática, o programa Com amor, sem restrições vai te ajudar! Ele vai além da alimentação e inclui ferramentas para mudar de dentro para fora. Saiba mais: Programa Com amor, sem restrições

Como saber se um produto é orgânico?

Conforme nossa legislação, o consumidor reconhece o produto orgânico através do selo brasileiro ou pela declaração de cadastro do produtor orgânico familiar. Todo produto orgânico tem que apresentar o selo em seu rótulo. O agricultor familiar, que vende seus produtos diretamente em feiras, por exemplo, não precisa estampar o selo nas embalagens, mas deve possuir a declaração de conformidade orgânica.

É uma questão de carinho e cuidado conosco optar pelo melhor que estiver ao nosso alcance. E quando esse melhor são os orgânicos, esse cuidado se estende à natureza e às pessoas envolvidas na produção desse alimento.

Como é o acesso aos orgânicos na sua cidade? Você tem o costume de incluí-los na sua rotina?

Mais informações sobre produtos orgânicos

Ministério da Agricultura

Certificação orgânica: o que é? Dá pra confiar?

Sobre o Autor

Carla Vailatti

Carla Vailatti

Oi, eu sou a Carla Vailatti, jornalista e intolerante à lactose. Vivo em negociação com meu corpo, porque tento ouvi-lo, mas ele pede muito chocolate. Acredito que todos precisamos buscar informações para sermos protagonistas da própria saúde.

5 comentários em “Alimentos orgânicos: o que são? Por que custam mais?

  • 25 de agosto de 2020 at 16:03
    Bruna Moreira

    Muito bacana esse post gente! To lendo em 2020, e além de super atual (agora e provavelmente muito anos daqui pra frente) é um start com informações numa linguagem simplificada e muito interessante pra gente que assim como eu, embora faça sentido, nunca parou pra imaginar que era necessário preencher todos esses requisitos pra ser um alimento orgânico, além de não utilizar agrotóxicos e ponto, sabe? Então obrigada por compartilhar conhecimento!

  • 14 de setembro de 2017 at 16:41
    La

    olá legal que abordarem esse tema. Mas falta mais informação. Os agricultores tem muito, mas muito mais técnicas do que o rodízio de culturas e diversificação de espécies entre e dentro dos canteiros para o combate de pragas e a resistência das plantas . Além disso orgânico não é apenas aquilo com dito selo. Tem muito agricultor pequeno que não tem como se certificar, pois e muita burocracia e gasto as vezes simplesmente a distancia e os meios tecnológicos nem permitem aquela admissão ao selo (sei porque trabalhei nisso). Também temos no Brasil outros selos. no entanto, existem muitos pequenos produtores orgânicos totalmente cientes da agroecologia e não possuem nenhum selo. Além disso, orgânico também podem ser produtos derivados de animais, como ovos, carnes etc. Também tem que levar em conta a qualidade das sementes, pois orgânicos precisam acesso a outras sementes, crioulos, as vezes difíceis de conseguir. Quando for produzido em semente crioulo e com principios agroecológicos o sabor praticamente sempre é MELHOR. tomate é um exemplo que se destaca. poderia falar muito mais aqui, pois falta bastante abordagem aqui, mas fiquei feliz por terem falado desse tema.

    • 14 de setembro de 2017 at 16:49
      La

      ah e muitas vezes, se for comprar direto do produtor o produto não é mais caro do que de outros produtores ou no mercado, ao contrário é mais barato do que no mercado. O selo dentro do mercado deixa o produto mais caro, em geral. o Tema é ir nas feiras e encontrar um produtor que seja orgânico sem ou com selo. depende da confiança, muitos produtores também aceitam visitas, e muito a base de confiança também. O selo apenas se vira necessário quando não se tem mais esse contato direto entre produtor e consumidor.

    • 14 de setembro de 2017 at 17:04

      Oi La, seu comentário enriqueceu nosso conteúdo, obrigada!
      Concordamos que tem muito mais informação além do que eu trouxe aqui. Além da limitação de espaço, tem também a minha limitação como pessoa, uma vez que meu conhecimento no tema é bem básico. Mesmo assim, achei legal dividir o pouco que sei, porque ainda assim vejo que posso ajudar algumas pessoas a dar o primeiro passo na busca por esse conhecimento. Enfim, concordo com cada ponto que vc mencionou, especialmente pq sou filha de pequenos agricultores e sei que orgânico e selo nem sempre andam juntos.

      Essa abordagem superficial que fiz tem o objetivo de despertar o interesse da maioria da população atual, que nasceu e vive em centros urbanos e nem pensa muito no que aconteceu com a comida antes dela chegar no supermercado.

      Abraços,

  • 13 de setembro de 2017 at 17:28
    Glória Lima

    Eu compro verduras e legumes orgânicos em uma feirinha da minha cidade, são de produtores rurais de lá mesmo.

Comments are closed.