4 Dicas para Aproveitar as Festas com Alergias Alimentares

Fim de ano chegando, que tal anotar 4 dicas para aproveitar as festas com alergias alimentares?

As Festas não são só um período do ano que temos uma merecida folga, vamos para a praia e abençoamos a invenção do ar condicionado. Estamos falando daquela época de confraternizações, de juntar família, amigos, colegas da firma, de rever como foi o ano que passou e fazer planos pro ano que vem…. E da famosa comilança de final de ano.

E é aí que o bicho pega.

Os alimentos e memórias afetivas

Quem vive com alguma alergia ou intolerância alimentar relata sobre a dificuldade que é estar em situações sociais que envolvem comida ou bebida.

Vamos combinar que as festas de fim de ano são basicamente uma maratona com obstáculos de fogo e gelo para aqueles que têm alergias alimentares, não é?!

Quando pensamos no Natal, principalmente, raramente são relatos que não trazem algum tipo de sentimento. Está ali, na ceia de Natal, inscrita a história da família, seja nos pratos que a tia faz e que honram as raízes e ascendência, ou na sobremesa que a avó fazia e só ela sabia fazer, ou na lembrança de roubar picolé do congelador com os primos quando era criança.

É um tanto de história que faz com que os alimentos se tornem muito mais do que uma composição nutricional: se tornam afeto.

E é completamente compreensível que a ideia de não poder mais reproduzir essas memórias dentro do afeto da ceia por conta das alergias alimentares faça com que você se sinta angustiado e desconfortável. Essa época é especialmente difícil para quem vive com alguma alergia alimentar e, muitas vezes, a primeira reação é a de se isolar e se recolher para não ter que se deparar com essa angústia.

Você se identificou com esses sentimentos? Então vamos pensar juntos em como tornar a época das festas de fim de ano mais tranquila para você!

Então, o que fazer?

A seguir, separei algumas dicas que espero que possam ajudar vocês a aproveitar essa época, transformando a angústia em possibilidades de novos afetos:

1. Pense quais são as suas possibilidades baseado no que você conhece do seu corpo.

Primeiro de tudo: Você conhece seu corpo melhor do que ninguém.

Antes de pensar em alternativas ou ficar tomado pela ansiedade de estar nessas situações, se pergunte: Você tem reações alérgicas quando fica em lugares em que as pessoas estão consumindo aquele alérgeno?

Como o seu corpo responde à essas situações?

O que lhe causa desconforto?

Até que ponto o contato com o alimento alérgeno é confortável para você?

Existem pessoas que não se sentem bem ao entrar em um lugar fechado onde se esteja consumindo glúten, enquanto outras não experienciam nenhuma reação. Isso porque cada corpo é um corpo, e é importante avaliar o que é possível para o SEU corpo.

2.  Não tenha receio de comunicar para o seu círculo o que é confortável para você.

A primeira dica é um gancho essencial para essa dica aqui! Quando você conhece os limites do seu corpo e fica confiante em saber até onde você pode ir, você se sente também mais confiante para contar isso para os seus colegas/familiares/amigos.

É muito comum ouvirmos relatos de como as pessoas do círculo de convívio podem ser grandes complicadores no manejo das alergias e intolerâncias alimentares.

Ou é uma piada fora de hora, ou é a descrença do quadro, ou a ideia de que “um pouquinho não vai lhe fazer mal”. E não é nem um pouco legal ouvir isso.

Frente à esses comentários, a pessoa com alergia pode se sentir cada vez mais acanhada para falar sobre seu quadro, chegando a se isolar e a até evitar eventos sociais, ou, quando nesses eventos, experienciar momentos de ansiedade.

Assim como você conhece o limite do seu corpo, você também é capaz de estabelecer o seu limite com esses comentários. Portanto, se esse for o seu caso, conte, com confiança e calma, para essas pessoas como funciona sua alergia, como seu corpo responde e, conte também como aquele comentário, que parece pequeno, também pode contribuir para a dificuldade social que as alergias já trazem por si só.

E lembre-se: Você NÃO é um peso para essas pessoas.

Seu quadro de alergia/intolerância alimentar NÃO define o seu valor. Se você foi convidado para essas confraternizações, é porque sua presença é importante! E sua presença engloba, inclusive, suas possibilidades de estar lá!

Comunique com segurança o que é possível para você.

3. Pense junto com seus familiares/amigos/colegas em novas possibilidades.

Refletiu sobre como seu corpo funciona e os seus limites? Comunicou para seus entes quais limites são esses? Ótimo!

Agora é hora de pensar juntos estratégias para tornar as confraternizações de final de ano mais inclusivas!

Não tenha medo de ousar, você merece participar e viver essa época tanto quanto qualquer pessoa! Não consegue estar em um ambiente fechado que as pessoas estejam consumindo glúten, por exemplo?

Por que não fazer uma “pré-ceia” na sua casa? A ceia vai ser na casa da titia e você precisa de talheres separados? Leve!

Não sinta vergonha da sua condição, pois não há nada de errado em precisar de adaptações para que você consiga participar dos eventos de maneira tranquila.

Ter um quadro de alergia ou intolerância alimentar não é sinônimo de não poder mais viver essas ocasiões, é sinônimo de recomeço, de ressignificação, de novas possibilidades.

4. Aproveite o momento das festas para criar novas memórias afetivas com novas possibilidades de alimentos!

Cada família tem sua comida tradicional de Natal (e sua regra da uva-passa, rs), e para muitas pessoas com intolerâncias alimentares a parte mais difícil das festas de fim de ano é a impossibilidade de viver as memórias e os afetos relacionados à tradição dos alimentos da época.

A rabanada da vovó sempre vai ter um valor afetivo único, mas isso não impede que você crie novas memórias com os alimentos que são possíveis para você!

Chame sua família, seus amigos, mostre para eles as receitas, peça ajuda na cozinha, dê um pouco da massa para as crianças experimentarem.

Compartilhe risadas e proporcione também ao seus familiares novos sabores! Quem sabe não vira uma tradição nova da família?

Aqui no Lactose Não, a Flá criou um montão de receita deliciosa que cabe todo mundo! Que tal escolher uma dessas receitas e compartilhar com a sua família? Clique aqui e veja algumas opções.

Conta aqui pra gente qual foi a receita escolhida!

Boas Festas à todos! Que seja uma época de paz e de muito afeto compartilhado!

Nos encontramos em 2019!

Sobre o Autor

Raquel Guimarães

Raquel Guimarães

Raquel Guimarães é psicóloga clínica em São Paulo, especializanda em Comportamento Alimentar, autora e idealizadora da página Meu Querido Corpo (Instagram: @mqueridocorpo) e colunista no blog Lactose Não.

1 comment on “4 Dicas para Aproveitar as Festas com Alergias Alimentares

  • 20 de dezembro de 2018 at 16:35
    Henrique

    Raquel é demais! Super recomendo conversar com ela e seguir o perfil do @mqueridocorpo no instagram

    Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *