Dieta para candidíase – o que sobrou para comer?

Oii, amigos!!! Hoje vamos ver o que “sobrou” para comer na dieta para candidíase.

Confesso que coloquei esse título para provocar mesmo, porque fiquei chocada com a reação de muitos de vocês dizendo que não sobrou nada para comer! Fiquei surpresa ao ver a supresa de vocês ao saber que comer comida pobre em nutriente não faz parte de um tratamento para melhorar a saúde.

Poxa, gente, sério? Vocês não acham meio óbvio que comer um monte de açúcar, bebidas industrializadas, gorduras ruins, pães e bolos pobríssimos em nutrientes faz mal?

Fiquei triste e preocupada ao ler comentários do tipo: “Ou seja, fazer esse tratamento é ficar infeliz”. Vejam as fotos abaixo, são receitas que desenvolvi com ingredientes funcionais e nutritivos. Melhorar nossa saúde através da alimentação não deve e nem pode ser sinônimo de sofrimento 🙂

Deixar de comer produtos alimentícios – porque, tirando as frutas, nada do que tem nessa lista aqui é comida – faz você ficar infeliz? Algo está errado aí, amigo… a nossa felicidade não vem de escolhas alimentares não. A felicidade vem de um conjunto de fatores, onde a comida é uma parte pequena. Seus relacionamentos, sua carreira/estudos, sua família, prática de atividades físicas, espiritualidade, tudo isso influencia na sua felicidade.

Fora que, estes posts que tenho feito sobre síndrome fúngica e candidíase recorrente são para alertar o que a alimentação de 95% da população traz: disbiose, diversas inflamações, doenças, mal-estar, falta de ânimo e até depressão!!!

Talvez a causa da infelicidade seja o que aquela lista de alimentos está fazendo com seu organismo: alterando seus hormônios, aumentando sua indisposição, não dando energia e vontade suficiente de fazer as coisas, e não o contrário..

Se você quer saber como eu consegui me curar da disbiose/síndrome fúngica, clique aqui e faça parte da minha lista de e-mails VIP. Vou te contar os três segredos que me ajudaram MUITO.

Bom, mas eu estou aqui para tentar ajudar e por isso hoje vou mostrar tudo o que “sobrou” para comer aos que querem melhorar sua saúde 🙂

Eu trabalho com cozinha natural e funcional, isso quer dizer que além de receitas gostosas e práticas, eu escolho os ingredientes pensando no que eles podem trazer a mais – algum benefício que auxilie em um objetivo específico. Neste caso, é super interessante incluirmos os alimentos abaixo devido a suas propriedades antifúngicas, anti-inflamatórias, antibacterianas e imuno moduladoras.

  • Coco: óleo, água e polpa. O coco é rico em algumas substâncias com grande poder fungicida e bactericida, como o ácido láurico e ácido caprílico. Além disso, o coco é um dos alimentos mais nutritivos do mundo. A água ajuda a hidratar e repor minerais, a polpa e o óleo são ricos em gorduras boas e ainda auxiliam na saciedade 🙂
  • Alho. Ele é maravilhoso, aumenta a imunidade, é probiótico, anti-inflamatório e auxilia a recuperação ser mais rápida.
  • Gengibre e cúrcuma. Raízes com ótimas ações anti-inflamatórias, também auxiliam na digestão e vão aumentar a imunidades.
  • Frutas vermelhas. Ricas em antioxidantes e com baixo índice-glicêmico! Se joga, miga!!!!
  • Probióticos. Probióticos são alimentos e bebidas ricas em microorganismos do bem, amigos, lindos, maravilhosos que vão repovoar nosso intestino com bactérias benignas. Aumentando o consumo destes alimentos, as bactérias boas vão matando as malignas e fungos e assim o mal-estar vai desaparecendo. Alimentos probióticos: missô, chucrute, picles caseiro, kefir, kombucha, rejuvelac. No meu e-book Tchau Candi você aprende a fazer picles caseiro e rejuvelac. Clique aqui para comprar por R$24,90.
  • Prebióticos. Os prebióticos são alimentos para os probióticos. Muito importante adicionar na alimentação também, pois nada adianta ter vários amigos novos no intestino se não tiver comida para eles, né? O amido resistente é um ótimo prebiótico e você encontra ele na biomassa de banana verde, aipim, inhame e algumas outras raízes. A concentração do AR varia muito dependendo da maturação do alimento, método de cocção e temperatura. Veja algumas receitas com biomassa de banana verde aqui.
  • Ervas como orégano, tomilho e alecrim. São super antifúngicas! Você pode fazer chá com elas ou caprichar no tempero da sua comida do dia-dia.
  • Chá de ipê-roxo.
  • Extrato de própolis. Excelente imuno regulador e cicatrizante.
  • Glutamina. Protege e recupera as vilosidades intestinais, que provavelmente vão estar bem prejudicadas.

Estes são alimentos interessantes para incluir na alimentação devido a suas propriedades específicas. Agora veja, de fato, o que sobrou para você comer:

As fotos ali em cima, são algumas das 16 receitas que desenvolvi para o e-book para ajudar você no café da manhã e nos lanches. Elas são práticas, nutritivas e deliciosas! Ele está R$24,90 e você pode comprar clicando aqui – pagamento por boleto ou cartão de crédito.

Para ver ideias de alimentação no dia-dia (almoço e janta), veja este post aqui.

Lembre-se que no meu Instagram eu posto dicas e receitas diariamente e minha alimentação é sempre natural, sem glúten, leite, pouco açúcar e com carboidratos complexos, então me acompanhe por lá.

Hoje é o último post da série sobre candidíase, disbiose e intolerâncias alimentares. Veja todos aqui.

Caso você esteja suspeitando que está com esse quadro, procure um bom nutricionista funcional para que auxilie no tratamento e adeque sua alimentação e suplementação.

Nenhuma informação contida aqui substitui o acompanhamento médico e nutricional. Procure um bom profissional para acompanhar você e passar tratamento individualizado!

Meus amores, espero que essa série de posts tenha auxiliado vocês de alguma maneira. Lembrem sempre que a escolha é sempre nossa e que devemos estar preparados e dispostos para mudar.

Fiquem bem, um super beijo!

 

Sobre o Autor

Flavia Machioni

Flavia Machioni

Eu sou a Flavia, autora do Lactose Não. Sou especialista em cozinha natural, Health Coach formada pelo IIN/NY e Relações Públicas de formação. Faz 7 anos que venho mudando meu estilo de vida para ter mais saúde e bem estar e divido grande parte desse caminho aqui e em minhas redes sociais.

46 comentários em “Dieta para candidíase – o que sobrou para comer?

  • 15 de maio de 2017 at 12:51
    Alessandra

    Oi Flá, vc começa o post falando sobre coco. Eu adoro água de coco, mas nem sempre é fácil encontrar in natura, aqui em curitiba. Tem alguma caixinha que seja melhor pro consumo? 😘

    Reply
    • 15 de maio de 2017 at 13:06

      Oi Alessandra, tudo bem?
      A da marca Orbigado é uma boa opção.
      Aí em Curitiba você encontra água de coco natural no supermercado Angeloni e no Box do Coco no Mercado Municipal.
      Bjs

      Reply
    • 23 de junho de 2017 at 10:27
      angélica sá

      oie… aqui em rio grande – rs é pior nem sinal de coco, só o seco que encontramos em supermercado 🙁 alguma dica flávia?

      Reply
    • 17 de maio de 2018 at 12:34
      Gabriel

      Eu só queria saber como fica a dieta de um atleta que precisa de no MÍNIMO 3.300 calorias por dia para não SUMIR. Como faço? Meus exercícios demandam muita energia e consecutivamente um alto índice de carboidratos (as vezes preciso suplementar com hipercalóricos e proteínas do soro do leite) e a maioria dos alimentos que devem ser evitados fazem parte da minha dieta. É triste.

      Reply
  • 15 de maio de 2017 at 13:23
    Fafa Costa

    Flávia Você tem sido um anjo em minha vida, tem me ajudado muito com suas informações gratidão sempre!!!

    Reply
    • 15 de maio de 2017 at 14:38

      Oii Fafa!!
      Muito obrigada pelo carinho, lindona!
      Super beijo.

      Reply
  • 15 de maio de 2017 at 13:46
    Camila

    Obrigada pelo post Flavia, pena de quem não procurar se conhecer em todos os sentidos, tenho lido muita coisa sobre meu biotipo e vejo que posso mudar hábitos alimentares e viver melhor, me sentir melhor simplesmente respeitando o que nao cai bem no meu organismo..
    Passarei a ler todos seus posts rss
    Beijos!

    Reply
    • 15 de maio de 2017 at 14:38

      Oi Camila!
      Também acredito muito no que disse! Que legal que você também está disposta a se conhecer 🙂
      Obrigada pelo carinho, um beijo!

      Reply
    • 2 de julho de 2018 at 11:09
      Edjane Alves dos Santos

      BOM DIA ….sofro com de candidíase a seis anos não sei mais o que fazer,meu marido e eu já fizemos vários exames e não deu nada nele,mas em mim volta e sempre me incomoda estou desesperada já fiz todo tipo de remédio que me ensinam mas sempre volta ,por favor me ajudem ……..

      Reply
  • 15 de maio de 2017 at 14:22
    Rúbia

    Oi Flavinha,

    Caso eu faça o consumo de algum alimento que eu deveria cortar. Ex: banana. Isso quer dizer que eu nunca vou me livrar da disbiose e da candi? Devo cortar os alimentos prejudiciais por quanto tempo? Um beijo!

    Reply
    • 15 de maio de 2017 at 14:37

      Oi Rúbia!!
      Isso somente sua nutricionista pode te dizer, pois cada organismo funciona de uma maneira diferente e terá necessidades específicas 🙂
      Um beijinho e boa sorte!

      Reply
  • 15 de maio de 2017 at 15:58
    Naialla Huttner

    Ai que feliz, meu maior problema não é comer todas essas opções, meu problema é o café ( sou viciada ) 😕
    Obrigada pelos post Fla, me identifiquei e estou indo conversar com minha nutrologa 😊

    Reply
  • 15 de maio de 2017 at 17:45
    Deborah Werner

    Flavia, muito obrigada por essas postagens. Uma questão: milho e tapioca podem?
    Obrigada!

    Reply
    • 16 de maio de 2017 at 12:46

      Oi Deborah!
      Depende muito do seu quadro. Quanto menos carboidratos de alto índice glicêmico você consumir, mais rápida sua melhora.
      Tapioca tem índice glicêmico alto, milho também.
      Bjs

      Reply
  • 15 de maio de 2017 at 21:24
    Francie

    Flávia, para quem tem intolerância à gluten queijo é ruim? posso comer queijo?

    Reply
    • 16 de maio de 2017 at 12:45

      Oi Francie!
      Se estiver em tratamento para síndrome fúngica é ruim sim.
      Para quem tem intolerâncias alimentares, o queijo é legal evitar pois a proteína do leite é bem difícil de digerir. Como você já tem uma digestão enfraquecida, isso pode causar mais problemas.
      Bjs

      Reply
  • 16 de maio de 2017 at 9:25
    Camila

    Oi Fla!
    Obrigada pela série de posts. Tem me ajudado muito! Só fiquei com uma dúvida: num post você diz para cortar os açúcar e isso inclui frutas. Neste você fala sobre frutas vermelhas, melão, maracujá e laranja. A indicação é cortar ou só manter estas últimas?
    Beijos!

    Reply
    • 16 de maio de 2017 at 12:42

      Oi Camila!
      As frutas neste post são frutas com menor índice glicêmico, portanto podem ser consumidas no período. Lembrando sempre que cada caso é um caso, por isso o acompanhamento profissional é fundamental.
      bjs

      Reply
  • 16 de maio de 2017 at 10:26
    Milena Helena Cândido de Souza

    Olá….
    A banana da terra pode ser consumida?
    É sobre o Xylitol por ele ser um açúcar…mesmo que natural pode ser consumido?
    Obrigada desde já.
    Vc está me ajudando muitoooo!

    Reply
    • 16 de maio de 2017 at 12:48

      Oi Milena!
      Bananas têm índice glicêmico alto, o ideal é evitar.
      O xilitol pode ser usado, mas com parcimônia pois em grandes quantidades ele causa fermentação e gases, pois é um poliol.
      Bjs

      Reply
  • 16 de maio de 2017 at 11:42
    Mariane

    Oie Flávia, tudo bem?
    Sempre compro castanhas a granel, mas fiquei preocupada com a questão da procedência.
    Você tem algum lugar (ou marca) pra indicar em Curitiba, que sejam de boa procedência e não custem uma fortuna?
    Obrigada

    Reply
  • 16 de maio de 2017 at 13:27
    Ana Paula

    A farinha de oleaginosas também estão na lista de farinhas a serem excluídas? Obrigada

    Reply
  • 17 de maio de 2017 at 10:59
    Rebeca

    Oi Flavia!

    Não pode usar açucar nem para fazer pão com estes ingredientes?

    Reply
  • 17 de maio de 2017 at 13:23
    Celine

    Ótimo post, Flavia.
    Obrigada por compartilhar essas dicas e parabéns pelo blog!
    bjo

    Reply
  • 18 de maio de 2017 at 18:03
    Carol

    Oi, Flá. Gostei muito dessa série de posts. Estou em busca de uma alimentação mais anti-inflamatória para reduzir uma série de sintomas que tenho decorrente do stress, e suas dicas me ajudaram muito. Fiquei chocada também com os comentários das pessoas. Como a indústria engana a população, é triste. Beijao

    Reply
  • 19 de maio de 2017 at 7:09
    Flávia Fagundes

    Vc pode fazer um post falandovda dieta de quem tem hipotireoidismo?

    Reply
  • 9 de agosto de 2017 at 22:15
    Loren

    Olá, Flávia. O chuchu também é liberado? Obrigada desde já.

    Reply
  • 27 de setembro de 2017 at 14:32
    Thamiris Muniz

    “Deixar de comer produtos alimentícios – porque, tirando as frutas, nada do que tem nessa lista aqui é comida – faz você ficar infeliz? Algo está errado aí, amigo… a nossa felicidade não vem de escolhas alimentares não. ”
    Gostei desse argumento, vou usar ele muito quando vierem com aquele papo: “você não é feliz pq não come lactéos”

    Reply
  • 4 de novembro de 2017 at 18:56

    Flavia sofro de candidiase de repetiçao.O kefir pode ficar no leite de vaca,semi desnatado ou desnatado?As receitas do seu ebook podem ser consumidas durante as crises de candida?Pois os alimentos integrais estão atiçando a minha.Abraços!

    Reply
    • 6 de novembro de 2017 at 19:52

      Oi Silvio!
      Pode ficar no leite desnatadao sim. Sobre as crises, os alimentos do e-book estão na lista dos indicados para consumo durante o tratamento, mas somente profissional de saúde pode passar orientações específicas para cada caso.

      Reply
  • 6 de janeiro de 2018 at 16:04
    Daianna

    Olá, Flávia. Queria saber se o consumo de milho está liberado? Obg

    Reply
    • 8 de janeiro de 2018 at 11:12

      Oi Daianna! Se for milho em espiga, que contém fibras, acredito que em quantidade moderada sim.
      Agora se for farinha ou amido, melhor evitar, já que tem índice glicêmico elevado e se transformará em açúcar no organismo.
      Verifique com sua nutricionista o melhor plano para seu caso e suas necessidades!

      Reply
  • 7 de janeiro de 2018 at 0:46
    Tatiana Silva

    Venho sofrendo com o fungo cândida.. . Cansada de todos os medicamentos que já tomei. Estou a procura de um método diferente que possa me ajudar. O seu site me deu uma luz no fim do túnel. Vou seguir à risca a dieta e conseguir resultados. Se Deus quiser. 🙏

    Reply
  • 15 de janeiro de 2018 at 17:58
    Mari

    Amiga, cogumelos, frutas cítricas como morango e laranja estão longe de melhorar a cândida! O resto concordo em tudo. Bjo

    Reply
    • 16 de janeiro de 2018 at 15:50

      Oi Mari! As informações que dividi aqui são as mesmas que minha nutricionista recomendou, mas como sempre digo, cada organismo reage de uma maneira e tratamento de saúde só deve ser feito com acompanhamento individualizado.
      Bjs

      Reply
  • 19 de fevereiro de 2018 at 8:44
    Dayane

    Ué mas eu já li q quem sofre de candidiase recorrente tem q evitar qualquer tipo de farinha, mesmo a farinha de Coco, de amêndoas, integral, tudo o q for carboidrato, até as raízes como aipim, batata doce, inhame, os grãos como os feijões, grão de bico, lentilha, ervilha, todo tipo de açúcar, até aquela vinda de frutas doces como melancia, melão… Vi muitos alimentos no seu post q já havia lido q não poderia comer.

    Reply
    • 10 de março de 2018 at 14:47

      Oi Dayane! Essas recomendações foram as passadas para mim por minha nutricionista e as que pesquisei em livros.
      Como qualquer tratamento e dieta, existem diferenças e alterações de pessoas para pessoas. Por isso que sempre friso a importância de fazer acompanhamento profissional. Sites servem para informar, não para substituir o especialista.
      Bjs

      Reply
  • 1 de março de 2018 at 20:29

    Achei que batata doce,inhame,mandioca eram carboidratos.Beterraba muito doce e cogumelos incentivavam a candida crescer

    Reply
    • 10 de março de 2018 at 14:26

      Oi Silvio! São carboidratos sim, mas carboidratos complexos, com índice glicêmico menor.
      Cogumelos não incentivam a candida crescer.

      Reply
    • 10 de maio de 2018 at 11:27
      Vinicius

      silvio,você tabem sofre com essa praga? eu tenho a anos, agora uma pergunta para flavia é possível que seja câncer candidíase no homem,o que fazer se eu ja criei uma super candida?,pois oda vez que ela aparecia eu colocava pomada ? agora parece que ela nao desaparece so com a pomada e depois volta tudo de novo

      Reply
  • 16 de maio de 2018 at 20:22
    Isabel

    Bom dia Flávia!

    Batata doce e melão pode? Achei que não podia pq a batata doce é carboidrato e o melão falam que pode ter fungo nas sementes dele.

    Reply
    • 21 de maio de 2018 at 17:31

      Oi Isabel!
      De acordo com as orientações que recebi, sim. Mas como sempre friso, nada deve ser feito sem acompanhamento profissional e individualizado.
      Cada organismo é um organismo.
      Bjs

      Reply
  • 8 de junho de 2018 at 1:23
    Isabel Cristina

    Bom dia Flávia!

    É necessário retirar do cardápio arroz integral, feijão, mamão, laranja, aveia, castanhas, inhame, mandioca?
    Ouvi dizer que na dieta contra a cândida deve ser retirado qualquer tipo de carboidrato seja ele vegetal ou não e também retirar todas as frutas ácidas e muito doces. Mas que isso seria somente por um tempo até o corpo eliminar a candida.
    O que vc acha a respeito?

    Obrigada

    Reply
    • 9 de junho de 2018 at 9:59

      Oi Isabel!
      As informações que coloquei foram baseadas no tratamento que minha nutricionista passou e em livros que li.
      Oriento que procure orientação médica para que o tratamento seja feito de acordo com suas necessidades.
      Bjs

      Reply
  • 6 de julho de 2018 at 13:00
    ARACI SILVA CAMELO

    Li que frango não pode comer. O que vc diz sobre isso?
    Gostaria de saber o que realmente de carne pode ser ingerida.

    Reply
    • 9 de julho de 2018 at 16:27

      Oi! Nunca ouvi falar sobre isso.
      Confira se a fonte que informou é confiável e converse com seu médico.

      Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *