Safári em reserva particular – o que achei

Safári em reserva particular – o que achei

Oii! Dando continuidade a série de posts sobre a África do Sul, hoje vou contar sobre o safári em reserva particular e o que achei.

Normalmente as pessoas que vão para a África do Sul vão para o Kruger Park fazer safári.

Kruger Park é uma super reserva nacional que fica ao norte de Joanesburgo. Lá têm diversas opções de hotéis, acomodações e serviços de safáris.

Tudo o que pesquisava caía lá.

Até que conversando com amigos que tinham ido para a África do Sul, uma delas disse que para ir ao Kruger é melhor dedicar pelo menos 2-3 dias.

Nós não tínhamos 2-3 dias no nosso cronograma, então, fizemos como ela sugeriu e fomos para o Garden Route Game Lodge em Albertinia, uma reserva particular.

Albertinia

Albertinia fica a 340 km ao leste de Capetown. Fomos de carro, estrada bem tranquila.

Nós não conhecemos a cidade, porque fomos apenas para o hotel.

Reserva particular

Reservas particulares são locais onde os proprietários compram animais selvagens, com autorização do governo claro, e mantêm eles em propriedade privada.

É tipo um zoológico, mas menos cruel.

Os bichos ficam soltos, em uma área bem maior do que jaulas. Eles convivem uns com os outros, comem a hora que querem e fazem o que querem – claro, dentro dos limites impostos pela propriedade.

E aí, vem as questões.

Os carros do safári são abertos, o que é legal, mas me deu ainda mais sensação de que era tudo meio falso, porque como vamos ver rinocerontes, hipopótamos, leões e chitas soltos em um carro que não tem nenhuma proteção?!

Mas, essa é uma percepção minha.

A propriedade é bem grande, e eles têm um número considerável de animais.

Tem girafas, elefantes, rinocerontes, zebras, antílopes (vários, um inclusive pulou na nossa frente enquanto estávamos indo pro quarto depois da janta, morri de susto hahaha), leão, leoas, chitas, hipopótamos e avestruz.

Todos estão meio que na mesma área, exceto os leões que ficam em uma área protegida com cercas porque segundo a guia se estivessem soltos eles matariam todos os outros animais e ficaria economicamente inviável manter a reserva.

Quando ela nos falou isso logo no primeiro safári eu já fiquei super desanimada. Acho que fui um pouco ingênua na hora de comprar o pacote, ou só esqueci de refletir… mas ok, vamos lá!

Na minha opinião a experiência que tive teve pontos positivos e negativos. Vou contar aqui pra vocês minhas percepções, lembrando que essa é uma opinião pessoal que tem como único objetivo ajudar quem está querendo programar sua viagem/safári.

Positivo

O hotel é bom! Por um preço super ok (pagamos R$1116,00 para duas pessoas) você tem 1 noite de hospedagem, dois safáris (um fim de tarde e um no início da manhã), jantar e café da manhã.

O atendimento deles é ótimo, o quarto limpinho e confortável e o serviço atencioso.

Acho que para quem tem filhos pequenos e quer tranquilidade deve ser uma ótima opção!

Negativo

O fato de ser uma reserva particular acabou me incomodando mais do que eu imaginei.

Por mais que os animais tenham bastante espaço, não estão no seu habitat realmente natural. Para a experiência de safári mesmo (a que eu imaginava, pelo menos) não valeu.

Pra mim eu estaria no ambiente deles, de acordo com as regras deles. Mas não, eles estavam em um ambiente criado pelos meus amigos humanos. Por mais que super bem cuidados, não era exatamente o que gostaria.

Acho que faltou um pouco de reflexão antes de ir. E vejo que é algo bem comum entre nós.

Acabamos optando por passeios, viagens, atividades sem realmente refletir o que aquilo significa e como aquilo pode ser. Eu não gosto de zoológicos, aquários e show/atrações envolvendo animais. Desde que comecei a refletir o que isso significa nunca mais consegui ir em eventos assim.

Sentimos uma vibe meio zoológico e não gostamos disso 🙁

Não acho que os donos da reserva tratem os animais mal, bem pelo contrário, eles parecem muito bem tratados, cuidados e assistidos.. mas ainda assim, estamos dominando eles para servirem a nós (o que fazemos desde sempre e em vários aspectos, como Yuval Harari explica em Sapiens).

Resumindo, se não parasse para refletir a experiência teria sido melhor.

E você, já fez algum safári? O que achou? Alguma dica?

Eu sei que ainda quero ter uma experiência de safári, e meu destino deve ser Botsawana – até porque, o pouco que conheci do continente africano eu fiquei encantada! Quero conhecer mais hehehe

Quer mais dicas de viagem? Baixe meu e-book gratuito SOS viagem – o guia do intolerante viajante. Preencha o formulário abaixo e te envio no e-mail!!



Veja os outros posts sobre a África do Sul:

Beijocas.

 

 

Sobre o Autor

Flavia Machioni

Flavia Machioni

Eu sou a Flavia, autora do Lactose Não. Sou especialista em cozinha natural, Health Coach formada pelo IIN/NY e Relações Públicas de formação. Faz 7 anos que venho mudando meu estilo de vida para ter mais saúde e bem estar e divido grande parte desse caminho aqui e em minhas redes sociais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Politica de Cancelamento para Cursos Online - Empresa Lactose Nao - F.M.M. MEI (CNPJ: 19.521.725/0001-53)

l