A Lactose e Eu – Laura Blum Lorenz

Oioiii!!! Hoje temos mais um depoimento no “A Lactose e Eu“, é a vez da Laura Blum Lorenz contar sua história.

A Laura já agregou muito aqui no blog, como por exemplo no nosso Atlas Lactose Não, com várias dicas ótimas.

Obrigada Laura!!!

Quem quiser dividir sua história, uma receita, um caso, já sabem né? Só mandar email pra mim no [email protected]

“Oi Flavia!

Sou a Laura, de Porto Alegre, e descobri a Intolerância a Lactose (IL) em 2011. Como a maioria dos intolerantes, passei quase toda minha vida com sintomas “sem explicação” (aliás, super me identifiquei com os depoimento da Aline Aguayo, da Paula Vacca e da Mariana Reina sobre todos os sintomas!), mas, pra mim, foi em 2010 que o “calvário” começou.

Este ano (2010) coincidiu de ser um ano de muito estresse profissional e de preparativos para o meu casamento, então achei que poderia ser algo relacionado ao nervosismo. Mas…. a coisa só foi piorando e piorando. Passei quase que o ano de 2010 inteiro com dores terríveis  e perdi a conta de quantos médicos diferentes consultei. Era exame disso, exame daquilo…cheguei num ponto de acordar passando mal e já achava que estava com algo terrivelmente grave! Só em 2011 que um médico gastroenterologista solicitou o exame de IL e confirmou o resultado (e junto dele também o resultado de Síndrome do Intestino Irritável – SII). No dia seguinte, após cortar tudo que pudesse conter até uma mísera gota de leite, eu já me senti bem melhor.

Depois disso ainda consultei com um médico alergista (que também confirmou o resultado de IL) e comecei a frequentar uma nutricionista, já que eu era completamente leiga no assunto. Ela me passou uma lista de produtos e orientações, mas mesmo assim comecei a me perguntar: o que eu vou comer? A sorte era que, na época, em razão da profissão do meu marido, estávamos morando em uma cidade que tinha uma Padaria especializada em produtos sem glúten e sem lactose (está no Atlas Lactose Não). Foi minha salvação (e destruição do meu bolso! Sim, porque há 3 anos atrás não existia toda essa quantidade de produtos que há hoje nos mercados e lojas).

E assim eu passei a me acostumar com o fato de “leite nunca mais” na minha vida e passei a ter uma vida muito melhor. Foi então que, fazendo uma retrospectiva alimentar, lembrei de vários alimentos que me causavam certa repugnância (e vários outros sintomas) desde a infância e só depois associei ao fato da IL.

Desde 2011 passei a buscar receitas e produtos que não contenham Lactose e o blog Lactose Não me ajuda muito nisso! (além de ter como logotipo a vaquinha mais simpática do mundo!) A receita de Cupcake de coco e doce de leite sem lactose virou minha “especialidade” e já adaptei ela para várias outras. E assim a IL passou de um problema para uma mudança na minha vida. Ainda hoje muita pessoas me perguntam: “Mas tu não tem vontade de comer uma sobremesa?” ou algo do tipo e eu sempre respondo que não tenho a mínima vontade por dois motivos: 1º)  a dor e os sintomas que a IL geram não valem a pena por nenhum alimento; 2º) os alimentos que consumo são muito mais naturais e saudáveis que os demais (por exemplo, quando sinto o cheiro de um chocolate normal, esses tipo ao leite, sinto apenas cheiro de produtos químico e não do cacau, como é com o meu chocolate sem lactose). A intolerância passou a ser tão presente na minha vida que uma lista que criei (de produtos e locais sem lactose em Porto Alegre) começou a ser repassada pelo meu médico gastro a todos seus pacientes com IL.

Claro que não são só “flores” na vida de quem tem IL. Já enfrentei muitas situações em que sou tachada de “Fresca” por pura ignorância das pessoas. Nos restaurantes e viagens também é um pouco difícil de se lidar com as opções, mas sempre acabo encontrando algo (e depois repasso pra Flavia postar no Blog!). Mas também ajudo várias pessoas que, quando são diagnosticadas, sempre vem me pedir dicas e dividir suas experiências.

Outro assunto frequente para quem tem IL é o uso de enzimas. Eu, até hoje, só testei o Lactaid e sinceramente, pra mim ele não serve para muita coisa (minha IL é extremamente severa). É um pedaço de bolo ou algo do gênero e olhe lá! Não consigo comer “normalmente” fazendo uso de enzimas, mas é um bom recurso (principalmente em viagens).

Enfim… nesses anos convivendo com a IL também percebi o aumento de produtos no mercado (aqui em Porto Alegre tem até sorvete de Creme e é cremoso!), mas o ideal seria a aprovação do Projeto de Lei que trata do tema (PL nº 206/2013), fazendo com que a frase “Não contem Lactose” ou “Contem Lactose” esteja em todos os produtos.

Outra dica que acredito ser importante para quem está descobrindo a IL agora (ou para quem está começando a devida importância para a sua) é o fato de que o acompanhamento médico é fundamental e no meu caso, é periódico. Agendo a cada 6 meses uma consulta com meu gastro para refazer exames e ver se está tudo bem com minha saúde (até em função do cálcio que reponho por outros modo, como as folhas escuras e peixes, por exemplo).

Por fim, quero agradecer a Flavia pelo carinho e atenção de sempre. Saiba que o Blog tem uma importância muito grande pra mim e é uma fonte de inspiração!

Beijão!”

Laura

Gostaram do depoimento da Laura?
Acompanhe o Lactose Não nas redes sociais também, e fique por dentro de tudo 😉 Youtube, Facebook, Instagram e no Snapchat procure por lactosenao.

flaviamachioni_bannerwebtodasapostilas02

Sobre o Autor

Flavia Machioni

Flavia Machioni

Eu sou a Flavia, autora do Lactose Não. Sou especialista em cozinha natural, Health Coach formada pelo IIN/NY e Relações Públicas de formação. Faz 7 anos que venho mudando meu estilo de vida para ter mais saúde e bem estar e divido grande parte desse caminho aqui e em minhas redes sociais.

9 comentários em “A Lactose e Eu – Laura Blum Lorenz

  • 15 de março de 2016 at 21:56
    Alessandra

    Oi Laura, poderia indicar seu gastro e nutri aqui em Porto Alegre. Descobri a IL a pouco e ainda estou em busca de médicos para me auxiliar. Obrigada.

    Reply
  • 23 de janeiro de 2016 at 10:28

    Bom dia,
    Sou IL e vou para gramado agora no carnaval, vcs teriam opções de restaurantes com opções boas para intolerantes???
    Obrigada

    Reply
  • 24 de fevereiro de 2015 at 16:09
    Lívia Cordeiro

    Oi Laura, tb moro em Porto Alegre e tb tenho IL. Há 2 semanas fui diagnóstica com IL severa (antes era em torno de 70%). Gostaria que me passasse a lista de lacfree que tem para nossa cidade. Estou limitada apenas ao Bourbon. Obrigada. Abraço.

    Reply
  • 6 de janeiro de 2015 at 15:29
    Franciele

    Oi Laura,
    Recentemente descobri minha intolerância…. estou aprendendo a lidar com isso e está sendo um pouco complicado.
    Já que você é de Porto Alegre tens alguma indicação de nutri para me passar?

    Reply
  • 2 de setembro de 2014 at 19:28
    Mara

    Oi, Laura! Por favor, me envie a lista dos locais que vendem produtos sem lactose em POA. Grata.

    Reply
  • 15 de abril de 2014 at 18:16
    Micheline

    Gostei muito da dica para as pessoas que estão descobrindo a IL agora, que é continuar indo periodicamente ao médico e refazendo os exames. Obrigada pelas dicas tão importantes!

    Reply
  • 23 de março de 2014 at 20:13
    Renata Kairalla

    Olá!
    Isso que a Laura comentou sobre os rótulos seria ótimo!
    Só começamos a ler os rótulos com atenção quando descobrimos alguma restrição alimentar (no nosso caso, a lactose), e é impressionante descobrir que os alimentos aparentemente mais inocentes, são proibidos.
    Saí desconsolada outro dia de uma loja de conveniência, ao descobrir que eu não podia comer biscoito de polvilho, salgadinhos ou uma simples cream cracker rs
    Mas graças à Flavia e à minha Nutricionista recém descoberta estou aprendendo a sobreviver e fazer receitinhas deliciosas!

    Reply
  • 19 de março de 2014 at 20:25
    Laura Lorenz

    Oi Lene e Flavia!
    Tenho dicas para a sua passagem por Gramado sim (aliás, vou enviá-las por e-mail para o Atlas Flavia!)
    Sobre chocolates: Gramado é famosa por seus chocolates e quase todas as marcas já possuem a linha sem lactose (inclusive para degustação nas lojas). Os que conheço são: Chocolate Lugano (Linha ChocoBene), Chocolate Caracol, Chocolate Florybal, Chocolates Prawer e Chocolates Planalto Nesta época, por ser próxima da Páscoa, você vai encontrar até ovos de chocolate sem lactose. Nos sites das marcas que citei você pode ter mais informações, endereços (até em outros Estados) e também comprar pelas lojas virtuais.
    Sobre o sorvete: confesso que não conhecia nenhum em Gramado (geralmente vamos no inverno para lá e o costume de tomar sorvete no frio ainda não é um hábito), mas fui pesquisar e descobri uma dica num outro blog (Doce Sem Leite). Segundo o depoimento, a Sorveteria Casa Alves possui sorvetes livres de lactose.
    Mas já que você vai estar na Serra Gaúcha, não será difícil encontrar os sorvetes da marca Sorvelândia. Eles possuem sorvete de leite integral com a enzima lactase e como a fábrica fica numa cidade próxima a Gramado (Caxias do Sul), certamente tem em Gramado (Aqui em Porto Alegre são vendidos nos supermercados Zaffari e Bourbon).
    Outra dica em Gramado é você pedir no hotel (ou pousada) e até mesmo nos restaurantes algumas opções sem lactose. Sei que muitas já tem oferecido esse serviço quando solicitado.
    Espero ter ajudado! Qualquer coisa, estou à disposição. Beijos!

    Reply
    • 19 de março de 2014 at 20:47
      Lene Maia

      Obrigada Meninas ^^!! Espero que dê tudo certo! Vai ser a minha primeira viagem, cheia de tentações, desde que descobri a IL! Mas de nada vale a pena comer e depois ficar com dor de barriga! né?! Bjs 😉 lene

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *