Porque estou começando mais um tratamento

Oioii!!!! No último post contei como descobri ser celíaca e hoje quero explicar porque estou começando mais um tratamento. Vamos lá? ☺️

Há mais ou menos um mês eu decidi que não ia mais comer animais (frutos do mar e frango, carne de vaca e porco já não como) e consequentemente, comecei a comer bem mais cereais e leguminosas do que estava acostumada. Infelizmente minha decisão durou menos de uma semana, e vou te contar porque.

Quando decidi não comer mais animais eu comecei a consumir mais leguminosas e cereais. Deixei todos de molho por 24h como ensino em meus cursos e já mostrei diversas vezes no meu Instagram, germinei alguns, e estava super feliz com minha escolha e com as comidinhas deliciosas que estava fazendo.

Na 6ª à noite, fim de junho, eu comecei a me sentir um pouco mal. No sábado acordei melhor e depois do café da manhã comecei a me sentir enjoada. Almocei pouco e quando cheguei em casa fui direto pra cama, de onde só saí 2 dias depois.

Eu tinha um enjoo e mal estar absurdos! Parecia que eu tinha dois aliens na minha barriga de tanto barulho que ela fazia. Tinha ânsia de vomito mas não conseguia vomitar. Fiquei 3 dias sem ir ao banheiro e sem comer. Única coisa que tinha vontade de comer era arroz com espinafre 😓.

Comi bem pouquinho, dormi muito, tive febre.. foi horrível! Pensei que era uma virose já que várias pessoas aqui em Salvador estão tendo. Passou uns dias, melhorei.

Estava com medo que pudesse ser algo do que tinha comido – mas eu só tinha comido em casa! Mesmo assim, quando pensava em algumas comidas meu estômago embrulhava.

Comi feijão uns dias depois e tive muito desconforto, mas um desconforto diferente. Achei melhor não consumir e voltei a comer ovo, peixe e frango. Confesso que fiquei triste, mas aceitei que não tinha o que fazer no momento.

Desde então eu não fiquei 100%.

Fui me consultar com minha nutri Juliana Trevilini e contando os meus sintomas ela disse ‘Fla, vamos ter que fazer uma detox grande em você. Consumir grãos e cereais em muita quantidade não é indicado para quem tem doença autoimune. Além disso, vamos retirar os FODMAPS.”

Na hora que ela falou isso eu lembrei de uma aula que tive no curso de Health Coach com o Dr William Davis, autor do livro Barriga de Trigo, que o nome da aula era “Against the grains” – Contra os grãos 😱🙊. Lembro que na época da aula tinha achado o maior exagero..

A Ju ainda me indicou um livro, que comprei na mesma hora, da Dra Amy Myers, Doenças Autoimunes. Este livro é ótimo, e se você tem alguma doença autoimune ou desconfortos e mal-estar constantes, indico demais a leitura.

Um ponto que esses dois médicos abordam em comum é que grãos, que neste caso são as sementes das gramíneas como trigo, cevada, milho, amaranto, painço, teff, arroz, não foram feitos para serem digeridos por nós, humanos.

Segundo o Dr Davis,  nós, seres humanos, não fomos feitos para comer grama. Não temos o sistema digestório adaptado para isso, diferente das vacas, por exemplo, e por muitos anos nós não comíamos. Nos alimentávamos de outras sementes, raízes, folhas, verduras, etc.

Mas, aqui eu vou focar nos argumentos levantados pela Dra Myers, que embasa o conteúdo do seu livro na experiência dela própria com doença autoimune assim como os resultados desse tipo de tratamento nos pacientes dela.

Segundo ela, o problema dos grãos e cereais está em alguns componentes deles que nós, que temos doença autoimune como doença celíaca, Chron, retrocolite ulcerativa ou outras desordens como síndrome do intestino irritável (SII), disbiose e intolerâncias alimentares, não conseguimos digerir e quando consumidas em excesso nos faz mal.

Este post é só uma introdução ao assunto. Caso tenham interesse, continuo falando sobre isso e no próximo, vou contar o que a Dra Myers diz sobre o consumo de alguns alimentos por quem tem doença autoimune e conto também qual o tratamento que minha nutricionista me passou. Então deixa um comentário aqui para eu saber se quer ler mais, tá?

Não deixe de me acompanhar no Facebook e Instagram e assine a minha newsletter para receber os posts da semana direto no seu e-mail 😘

 

Sobre o Autor

Flavia Machioni

Flavia Machioni

Eu sou a Flavia, autora do Lactose Não. Sou especialista em cozinha natural, Health Coach formada pelo IIN/NY e Relações Públicas de formação. Faz 7 anos que venho mudando meu estilo de vida para ter mais saúde e bem estar e divido grande parte desse caminho aqui e em minhas redes sociais.

41 comentários em “Porque estou começando mais um tratamento

  • 16 de agosto de 2017 at 16:49
    Deborah Crominski

    Gostaria de ter mais informações sobre a sua experiência com o assunto! Obrigada <3

    Reply
    • 17 de agosto de 2017 at 9:26
      Regina

      Eu gostaria de saber sobre seu novo tratamento.

      Reply
    • 19 de agosto de 2017 at 21:12
      Jaianne

      Gostaria de saber mais informações!!!

      Reply
  • 16 de agosto de 2017 at 17:14
    Claudine

    Amando seus posts sobre o assunto. Tb tenho doença autoimune e ando passando não muito bem com meu organismo. Já retirei o glúten e lácteos… gostaria de saber se a pasta e queijos de oleaginosas estão liberados… é o q me salva, pq amo queijo 😁

    Reply
  • 16 de agosto de 2017 at 17:29
    Maitê Taís

    Oi Fla! Tenho muito interesse no assunto. Eu já sou ovo-lactovegetariana há um tempo. Então descobri alergia à proteína do leite, do ovo e ao glúten (entre castanhas e leguminosas também). Pensa como é difícil equilibrar a alimentação vegetariana sem poder consumir demasiado os grãos. Tenho tido bastante dificuldade com isso… Mas tenho muito interesse em saber mais a respeito, já que quando consumo, mesmo que em menor quantidade, tenho muitos gases, inchaço, essas coisas todas 🙂 Continua falando sobre isso simmmmmm!

    Reply
  • 16 de agosto de 2017 at 19:13
    Leila

    Tenho muito interesse sobre este assunto. Grata por você sempre compartilhar seus conhecimentos conosco.

    Reply
    • 16 de agosto de 2017 at 20:42
      Salmareis

      Olá!!infelizmente eu tenho intolerância à lactose sogro muito com esse problema.

      Reply
  • 16 de agosto de 2017 at 19:16
    Neto

    Informações valiosíssimas Flávia ! 👏🏻👏🏻👏🏻
    👆🏻Quero muito saber !

    Reply
  • 16 de agosto de 2017 at 19:18
    Eli

    Ai Flavinha ;__;

    To numa situação parecida na verdade. Tava na low carb e sem comer frutas por 8 meses daí resolvi comer frutas de novo porque a resistência à insulina já tava mais controlada… pra quê? Prisão de ventre, dor abdominal, gases, arrotos, diarreia e a gota d’água foi enxaqueca com aura. Fui na nutri ontem e ela me passou probiótico, glutamina e creatina e deu o prazo de uma semana pra montar o plano alimentar porque tá tenso. Eu já tinha problemas com alguns legumes que agora que entendi que o problema já era a frutose. To tendo que cortar até limão e mesmo salada eu to meio com medo de ser o suficiente pra atacar já que eu me sensibilizei demais.

    Enfim, coisas idiotas que a gente faz porque é teimosa, mas pelo menos eu to cuidando do intestino de novo. Melhoras pra ti <3

    Reply
  • 16 de agosto de 2017 at 19:26
    Eliane

    Boa noite Flavia, tenho mto interesse nesse assunto, adoro o seu trabalho!! Bjo

    Reply
  • 16 de agosto de 2017 at 19:30
    Erica

    Começou agora termina..kkkk curiosa… muito interessante saber sobre este assunto

    Reply
  • 16 de agosto de 2017 at 19:46
    Ana

    Flavia. Vc descreveu o que é à minha vida digestiva. Cortei o gluten ja faz algum tempo. Fui n’a gastro e… Fui obrigada a cortar os fodmaps. Tenho tudo dificuldades par tirar as fruits.e o iogurte. Tudo n’a França é à base de leite e farine de trigo: molhos, sobremesa, paes. Tenho que voltar no médico. Fazer mais examens. A reeducacao alimentar exclusivamente Sem o gluten nao me livra mais do desconforto digestivo. Tenho dores no corpo todo e enxaqueca e acho que esse quadro é provocado pela ma nutricao. Obrigada pela dicas do site. Beijos

    Reply
  • 16 de agosto de 2017 at 19:49
    Letícia Araujo

    Tenho interesse em conhecer mais sobre o assunto. 😆

    Reply
  • 16 de agosto de 2017 at 20:08
    Bella

    Flavia, nos ajude com as informações! 🙂 Eu passei muito mal essa semana e nem sei o pq!

    Reply
  • 16 de agosto de 2017 at 20:14
    Lilian

    Estou em situação parecida, a diferença é que você está sendo acompanhada por uma excelente Nutri.
    Sinto fraqueza, distensão abdominal, aftas, irritabilidade, hr intestino funciona normal, hr preso! Esses sintomas independente do q eu como…tenho intolerância a lactose ( não consumo lácteos)
    Meus exames negativaram para DC.
    Fui em Nutri falei dos.sintomas, levei os exames expliquei que alguns alimentos pioram o quadro.
    Qdo peguei o cardápio chorei, chorei de verdade. Tinha tudo q eu disse que me faz mal…
    Sinceramente não sei mais o.que fazer…

    Reply
  • 16 de agosto de 2017 at 20:25
    Andressa Oliveira

    Oie, tudo bem? Li seu post, anterior e esse, foquei pensando o que você falou e resolvi comentar.
    Primeiro seria ótimo você consumir predutos orgânicos rsrsrs
    Eu tbem tenho doença autoimuni! Descobri em Fevereiro/2016. A minha é Púrpura Imuni, pesquisei muito e descobri que não podemos comer nada de trigo, nada de cereais, principalmente coisas integrais. Nem um ser poderia estar se eliminando assim e pra quem tem doenças autoimuni é muito mais prejudicial!
    Infelizmente, eu não consigo seguir todas as orientação. As vezes acabo caindo em tentação, fico triste, chateada comigo mesma, aço até ficando depre sabe.
    Passo super mal quando como algo com trigo, parece que fico toda inchada, inflamada, um barulho estranho dentro do meu corpo, sei que fez mal pacas.
    A pouco tempo sigo você!
    Trabalho na feira com meus produtos orgânicos “estou com a faça e o queijo na mao”… rsrsrs
    Mas as vezes eu me sinto perdida com a alimentação, quero seguir minha alimentação saudável, mas o trigo é uma coisa que pega muito! Não consigo me libertar.
    Gostaria muito de dicas.

    Beijos e sucesso.

    Reply
    • 17 de agosto de 2017 at 8:32

      Oii Andressa!! Te entendo!
      Eu procuro comer sempre orgânicos, único triste é que aqui em Salvador ainda é muito pequena a oferta e muito mais caro.
      Quando morava em Curitiba era o paraíso na terra, sinto muita falta, mas, vamos nos adaptando como podemos.
      Sobre as dicas, pelo o que você contou aqui no seu comentário, acredito que você se beneficiaria bastante do meu programa online de 6 semanas. A próxima turma começa dia 4 de setembro, você pode conhecer e se inscrever aqui: https://www.lactosenao.com/programa-6semanas
      Bjs!!!

      Reply
      • 18 de agosto de 2017 at 11:05
        daniela serra

        Oi Flávia,
        Não sabia que vc morava aqui em salvador! Também estou na saga da dieta ideal pra mim. Tenho intolerância a glúten, lactose, resistencia a insulina e descobri que precisava consumir mais proteínas animais, porque não me sinto bem consumindo grãos e somente vegetais. Volta e meia também sinto algum desconforto e ainda estou sem atendimento médico.
        Pode ser lindo, ecológico, vegano ser assim, mas na biologia humana não funciona. Acredito que somos animais carnívoros porque caso contrário, corremos sérios riscos de ficar com diabetes. A dieta da pirâmide alimentar está sendo um desastre na humanidade.
        As intolerâncias não são por acaso, pelo menos comigo eu já abusei demais desses alimentos. Não quer dizer que eu venha sofrer alergia a ovos e castanhas, de tanto consumir agora, mas é o que estou me sentindo melhor e meus exames de sangue estão ótimos.
        Meu doutor preferido é o Dr. Willian Davis, autor de barriga de trigo, que amo de paixão. Inclusive ele já foi vegetariano e teve que mudar pra não ficar doente.
        Toda mudança é sofrida, mudar de hábitos, mas com o tempo de acostuma. Antes mudar sempre do que continuar com o erro.
        Conte comigo nessa caminhada para trocarmos ideias e locais de compras de produtos.
        Meu email é [email protected].

        Reply
  • 16 de agosto de 2017 at 20:32
    Simone

    Oi Flávia, tenho muito interesse na sua publicação! Fui diagnosticada com doença celíaca em junho, alergia à proteína do leite e amendoim em julho e venho no desafio de evitar contaminação cruzada… Mas ainda sigo na investigação de outras doenças auto imunes… Ficarei no aguardo dos posts!

    Reply
  • 16 de agosto de 2017 at 20:50
    Andrea Reis

    Nossa, adorei este post. Eu tenho Síndrome de Intestino Irritável e estou numa crise terrível: 10/dias sem ir ao banheiro. O pior que pensava que não poderia ser alimentação, já que sou totalmente natureza! Gostaria muito de saber qual foi o tratamento indicado pra vc! Vou comprar o livro também!

    Reply
  • 16 de agosto de 2017 at 21:16
    Karla Vicenzi Bana

    Eu queria, Flávia! Estou na mesma! Sou celíaca desde meus dois anos e estou tentando parar com os animais também!!! Continueeee… 😘😘😘

    Reply
  • 16 de agosto de 2017 at 21:37
    Thamires

    Amando o assunto!! Ansiosa pelos próximos post. Obrigada por compartilhar.

    Reply
  • 16 de agosto de 2017 at 22:00
    Cris Pinto

    Cada vez mais me convenço que o segredo da alimentação ê o equilíbrio. Radicalismos nunca são bons.

    Reply
  • 16 de agosto de 2017 at 22:37
    Carol

    Muito interessante seu post. Gostaroa de saber maisMelhoras ai no tratamento e nova rotina.

    Reply
  • 16 de agosto de 2017 at 22:43
    Luciana

    Ameeeeei!!!
    Quero muito acompanhar todo o seu tratamento…
    Bem que dizem que tudo em excesso faz mal, precisamos de equilíbrio sempre 😊
    Gratidão amada pelos seus posts eles são super interessantes, bem escritos e nos dão muita clareza sobre diversos aspectos…
    Um grande beijo,
    Lu

    Reply
  • 16 de agosto de 2017 at 22:52
    Lidia Alves Sampaio

    Eu tenho muito interesse, é tão difícil acertar o q comer e não passar mal ou ficar com a barriga toda estufada, cheia de dor e parecendo que tem um ser estranho dentro dela, de tanto barulho q faz…. fiquei uns três meses sem comer fibras, o q me fez muita falta, pois cortar só a lactose não estava adiantando … agora é q aos poucos estou voltando a comer mais coisinhas diferentes, mas é claro, continuo restringindo os lácteos.

    Reply
  • 17 de agosto de 2017 at 0:01
    Eve

    Por favor dê continuidade ao tema, é provável que ajude milhares de pessoas!

    Reply
  • 17 de agosto de 2017 at 0:15
    Thales

    Oi Flavia! Participei do atendimento de crianças seguindo receitas sem FODMAPS na gastropediatria dá minha faculdade e de fato algumas só comiam batata chuchu e fórmulas de aminoácidos. Achei impressionante porque todo e qualquer alimento pode causar intolerância ou alergia e desencadear resposta inflamatória sistêmica. Glúten e lactose são a ponta do icerbeg exposto pela grande mídia. Não se sinta sozinha, já há muitos artigos e literatura a respeito dos FODMAPS. Continue na sua jornada maravilhosa de autodescobrimento pois a lista de alimentos que podem te fazer mal é muito empírica, apesar de alguns alimentos estarem na mesma família e vc adiantar e evita-los. Leia mais e traga informações pra gente! Tenho alguns artigos e textos aqui caso seja de seu interesse.Força e saúde, bjinhos

    Reply
  • 17 de agosto de 2017 at 8:30
    Gheysa

    Estou muito interessada, conta sim! Eu sou celíaca, só como em casa, tenho o maior cuidado com alimentação e volta e meia passo mal, a minha médica refez os exames pra celíaca e estão normais, sinal que minha deita está OK, mas então começou a investigar outras coisas…

    Reply
  • 17 de agosto de 2017 at 9:41
    Kátia Andrade

    Eu quero ler mais sim!
    (as vezes acho que você tá narrando a minha vida kkkk)
    Sou IL, já retirei a vesícula e estou nesse momento realizando exames para investigar SII, afinal já constatamos que não é só a IL meu problema, faltar descobrir o que é.
    Bjs

    Reply
  • 17 de agosto de 2017 at 11:48
    flavia scussel

    achei bem interessante!! queria saber mais tb!

    Reply
  • 17 de agosto de 2017 at 14:09
    Fernanda

    Fla!! Novamente vc falou e me senti dentro da tua história! Aconteceu comigo a algumas semanas! E não tinha pensando no excesso de grãos que eu havia consumido naqueles dias (minha dieta é baixa em carbs…) Vou comprar o livro! Quero entender ainda mais sobre minha doença (Celíaca junto com várias outras alergias). Gratidão 🙏

    Reply
    • 17 de agosto de 2017 at 21:55
      ANDREA REIS

      Eu não sou celíaca, mas sofro muito com a Síndrome de intestino Irritável. O pior que faço uma dieta restrita com alimentos bons, probióticos e muita água e fibra, mas vira e volta fico contispada, com muito gases e abdômen sempre inchado. Estou muito triste com isso, faço dieta para emagrecer uns quilinhos e não consigo avançar na atividade física por conta deste desconforto. Agora no momento, estou em uma crise violenta de constispação. Acho que pode ser que eu esteja fazendo algo errado na alimentação, por isso me interessei no seu post.

      Reply
      • 21 de agosto de 2017 at 9:44
        Daniela

        Eu tirei todos os grãos nocivos da dieta: milho, trigo. soja, arroz, cevada, etc. De vez em quando eu consumo leguminosas como o feijão e lentlha, mas estou em observação e não posso comer muito, pois não é low carb.
        Se conhecer é o melhor caminhao e entender a biologia do nosso corpo é essencial, como explica no livro do Dr. Willian Davis, entre outros.

        Reply
  • 17 de agosto de 2017 at 20:44
    Karina Ragazzi

    Quero saber tudooooo…..aprendo muito com você!!!! Minha vida está cada vez melhor com suas dicas!!!!!

    Reply
  • 21 de agosto de 2017 at 15:01
    Ferzinha

    – Flávia, me identifico com você em diversos posts, mas fiquei bem triste com esse especificamente.
    – Acompanho seu blog faz tempo, pois há alguns anos descobri minha intolerância (quase alergia) à lactose, como você. Depois de um bom tempo, após passar em diversos médicos e nutris, bons e ruins… através de uma super nutri ortomolecular, descobri ter a doença celíaca – tal como você. Relutei muitoooo, pois não aceitava essas alergias alimentares, igualzinha vc rsrsrsrs e depois de sofrer demais, decidi há um ano buscar uma linha mais saudável de alimentação, de estilo de vida, etc (conhece alguém assim? Só que você já vem buscando esse estilo de vida mais saudável faz bem mais tempo que eu kkk). Bom, enfim.. quando comecei a ler esse seu post enchi meu coração de alegria, pois decidi virar vegana juntamente com a decisão de ter uma vida mais saudável, há um ano atrás – tem tudo a ver, e de quebra deixo de financiar a tortura dos bichinhos =) E desde então, adotando a dieta (e estilo de vida) vegana, gluten free, passei a me sentir muito bem. Nunca mais tive enxaquecas, inchaços, acne excessiva, problemas gastro-intestinais. Me sinto muito mais disposta e com muito mais energia do que antigamente. Meu intestino virou um reloginho. Bom, importantíssimo frisar aqui que cada pessoa é diferente, e cada uma pode reagir diferente a cada dieta, né? Mas comigo foi assim. Acontece que fiquei bem frustrada com o fato de você ter dito que “não nascemos pra comer grama”. Oi? Desde quando não consumir proteína animal é comer grama? Um segundo ponto que me deixou triste foi que grãos e leguminosas são coisas diferentes, e dentro da classe de cada um, existe uma infinidade de alimentos, dentre os quais alguns podem vir a não nos fazer bem mesmo. Mas não dá pra generalizar assim. Eu fui ajustando isso pra mim com o tempo, testando… Por exemplo, aprendi que o grão de bico, pra não me fazer mal, deve ficar de molho 48 hrs, sempre trocando a água (e pronto, foram os fitatos embora). Pro feijão branco (pra mim), 12 hrs de molho é suficiente, o preto, 24 hrs, e o vermelho não posso consumir – me faz mal – a não ser que sejam germinados. Lentilhas não me fazem nadinha mal, nem ervilhas. E ainda dentro das leguminosas.. não chego nem perto da soja transgênica – me faz muito mal MESMO. Já a orgânica, se em forma de soja coagulada (tofu) não me faz mal. Agora explorando os grãos, o milho me faz muito mal (pelo fato de a maioria do mercado ser transgênico). Trigo = tentativa de suicídio, e arroz é uma belezinha. Aveia sem glúten é uma maravilha. Entende? Dentro das castanhas também tem uma diversidade bem grande… dentro das frutas.. dentro das verduras… dentro dos cogumelos… cada um é cada um, e com testes e o auxílio de um bom profissional, tudo se ajusta. Fiquei triste com esse seu post, pois colocou tudo de produtos “não-animal” numa “salada só” que faz mal e dá febre, etc.. chamou veganos de comedores de grama, e generalizou o fato de que celíacos não podem comer grãos, o que não é verdade – sou prova disso – e minha nutricionista ortomolecular também (não vou colocar o nome dela aqui sem o aval, mas posso te passar em particular).
    – Vou continuar acompanhando seu blog porque amo suas receitas, mas espero não desanimar de vez com ele =( Você é um baita exemplo pra mim, e não gostaria que deixasse de ser.
    Beijinhos

    Reply
    • 21 de agosto de 2017 at 17:00

      Oi Ferzinha, tudo bem?
      Primeiro, obrigada pelo carinho. Fico feliz que se sente disposta e encontrou o estilo de alimentação que te faz bem, dentro e fora. Isso é algo que busco até hoje e imagino como deve ser bom.
      Acredito que quando lemos coisas às vezes podemos ter o hábito de interpretar da maneira como nos convém, e às vezes não lemos com a atenção devida.
      Digo isso porque depois de receber seu comentário, fui ler meu texto novamente para ver em qual ponto eu chamei veganos de comedores de grama e sabe o que reparei? Que eu nem usei a palavra vegano. Aí fui ler novamente para ver em qual ponto do texto eu afirmei que celíacos não podem comer grãos, e adivinha? Não encontrei. Ou seja, você veio com uma ideia pré-formada, e por algum motivo se sentiu incomodada e leu coisas que nem estão escritas.
      De qualquer maneira, vou tentar explicar novamente o que eu li e o porque escrevi esse post:
      Primeiro, quem falou que não nascemos para comer grama foi o Dr Willliam Davis, na aula que tive com ele, e realmente nós não nascemos para comer GRAMA, tanto que nós não comemos e imagino que você não coma. Folhas para salada são hortaliças, não grama.
      Grama é o que as vacas comem e nós não nos alimentamos disso.
      O que nós comemos são os grãos das gramíneas, que são todos esses que você citou no seu comentário: arroz, milho, trigo, aveia,etc e que existem sim diversas pesquisas científicas mostrando que elas não são fáceis de digerir e que para algumas pessoas (principalmente quem tem doença autoimune ou no intestino) elas são mais difíceis ainda.

      Acho maravilhoso que você consuma e não se sinta mal, mas aqui no meu blog eu falo sobre o que eu passo e eu descobri que EM QUANTIDADES GRANDES, elas me fazem mal.

      Se você me acompanha há tanto tempo já deve ter percebido que eu respeito todas as pessoas e escolhas e aqui eu sempre falo o que EU estou passando.

      Sobre você se desanimar com o meu relato pessoal e pelos meus problemas digestivos oriundos da doença celíaca, é uma escolha sua.

      Fique à vontade e saiba que sempre será bem-vinda, tanto para ler meus relatos quanto para aproveitar as receitas que [email protected]
      Bjs

      Reply
  • 30 de agosto de 2017 at 13:56
    Maitê Webber

    Oi Flávia,
    Descobri seu site a poucos dias e estou devorando ele, pois me identifiquei muito!
    Tenho 21 anos e uma história pesada de intolerância. Desde pequena eu sempre passei muito mal ao ingerir alimentos lácteos, e fui excluindo-os da minha dieta, sem saber ainda explicar os sintomas, eu só dizia que “não gostava”. Cansei de vomitar após comer chocolate, iogurte, queijo colonial… Isso só nos sintomas gastro-intestinais, mas sempre tive baixa imunidade, dores constantes de garganta, bronquite, sinusite, rinite, alergias (fiz tratamento por anos para alergia, diminuíram em 70% e ainda assim a rinite continua comigo, nunca me soltou)
    Até que aos 16 anos, comecei a sentir muitas dores fortes de estômago, pontadas, parecia alguém me socando e retorcendo, passei por dezenas de médicos e nenhum diagnóstico, exames infinitos, entre eles de IL e glúten. A moça que estava fazendo meu exame, se assustou por meu corpo não estar digerindo nada da lactose consumida. Até aí ok, vamos restringir alimentação e cuidar da ingestão de lactose. Voltando ao gastro, ele ainda localizou por meio de um ultrassom nódulos no meu abdômen superior, e fui encaminhada ao Oncologista. Tive que ir para cidades maiores que a minha em busca de recursos que a minha cidade não oferecia, e foram descobertos nódulos em todo o sistema linfático. Um susto para a família. Fui pra mesa de cirurgia fazer uma biópsia. Thanks God não eram malignos, eram reacionais. Segundo alguns “palpites” médicos, por ter consumido a vida toda algo que meu corpo não digeria, o sistema de defesa do meu corpo começou entrar em guerra.
    Mas desde então, prestes a completar 22 anos, quase 6 anos após esse incidente marcante, continuo com dores, estufamento, gases, instabilidade intestinal, náuseas, muitas náuseas, mais dores de estômago. Tem dias que não consigo ir trabalhar, nem ir pra faculdade, nem sair da cama!
    É tão difícil não consumir NADA de lactose, que até os remédios que eu tomo para as dores, tem lactose na composição!
    Esse ano em específico tem sido mais difícil. Acredito não terem médicos especializados o suficiente na minha cidade, pequena e de interior. Mas eu mesma pedi pra refazer toda a bateria de exames esse ano, inclusive refazer endoscopia e de intolerância ao glúten. Continuam todos ok, sem alterações, sem reações. Únicas coisas alteradas foram algumas vitaminas em deficiência, e a reserva de cálcio muito baixa. Além de não conseguir ganhar peso e ouvir o tempo todo que estou magra demais. Mas o que eu posso fazer se não consigo comer? O refluxo está demais, já abandonei desde o início das descobertas, a 6 anos atrás, refrigerantes, bebidas alcoólicas, cafeínas, comidas picantes e fortes, além de ter diminuído ao máximo as frituras, comidas gordurosas, carnes vermelhas, e a lactose claro. Mesmo quando o alimento é produzido com lácteos, mas possui lactase em sua composição, algumas marcas me afetam como se eu tivesse ingerido leite normal. Procurei um médico de uma cidade maior, ele mal olhou meus exames “limpos” e me mandou para o psiquiatra, “essa dor vem da tua cabeça”. Tenho escutado muito isso.
    Mas creio no momento, precisar de uma desintoxicação, refazer a flora intestinal, e na esperança de pararem as dores estomacais e náuseas. Ando assim, indo pelo instinto, a procura de um médico que me passe apoio, vou tentar investir numa nutri ao invés de gastros e proctos. O que eu sei, é que preciso de mais qualidade de vida!
    Beijos e sucesso, adorei o site!

    Reply
  • 30 de agosto de 2017 at 14:04
    Maitê Webber

    Nossa, não vi que o comentário acima ficaria TÃO grande contando minha história, espero que você leia hahah
    Ainda estou “desbravando” o site, mas gostaria de ver um post de alerta sobre a lactose na composição de medicamentos, caso ainda não tenha, que aparentemente é BEM comum, e eu mesma, acabei descobrindo somente esse ano, por alerta de um gastro novo que comecei a frequentar. Infelizmente, alguns médicos mais despreparados acabam achando besteira ou frescura tanta restrição e acham que “só um pouquinho não vai fazer mal”.

    Beijooss

    Reply
    • 1 de setembro de 2017 at 12:49

      Oi Maitê! Tudo bem?
      Li seu comentário sim!
      Sinto muito por você estar passando por isso. Imagino quão difícil é às vezes, e pior quando médicos despreparados, incapacitados e ignorantes dão diagnósticos imprecisos e rasos.
      Por outro lado, fico feliz de ver que está sempre em busca de informação. Isso é libertador. Posso dizer que o que me ajuda é buscar conhecimento e entender o meu corpo, independente da opinião dos outros, portanto, parabéns!!!
      Tenho um vídeo no meu canal do YouTube do ano de 2013 alertando sobre lactose nos remédios, está por aqui também 🙂
      Indico a leitura do livro Doença Autoimune, que comento no post. Acho que vai ser legal pra você.
      Também indico meu programa online, são 6 semanas em que explico sobre a ligação de diversos alimentos com nossa saúde e como alcançar o equilíbrio com uma dieta nutritiva e anti-inflamatória. O curso aborda várias partes práticas e de estilo de vida, e tem comunidade fechada com os participantes. Temos encontros ao vivo semanais, pelas lives do Facebook, e isso tem se mostrado super benéfico para os alunos.
      Você pode conhecer mais aqui: https://www.lactosenao.com/programa-6semanas ou se preferi me mande email no [email protected] que te auxilio!

      Um beijo e boa sorte, querida!

      Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *