Novas leis estão mudando os rótulos

Olá, tudo bem? Vocês acompanharam notícias recentes sobre novas leis relacionadas à informação de leite, trigo e outros ingredientes nos rótulos dos alimentos? Tem vários pontos importantes para os intolerantes e alérgicos. Por exemplo, o fato de que mesmo os alimentos que alegam ser zero lactose podem sim conter uma pequena quantidade desse carboidrato, o que é bom estar ciente, uma vez que, dependendo da porção ingerida e da sensibilidade de cada um, pode gerar algum efeito indesejado.

Nesse post explico esse e outros detalhes, para que você saiba o que esperar dos fabricantes depois dessas novas leis que estão mudando os rótulos.

Lactose: zero não é exatamente zero

 Em 1º de janeiro de 2017 entrou em vigor a lei nacional que obriga a indústria a informar nos rótulos a presença de lactose nos alimentos. A norma da Anvisa foi publicada no dia 31 de janeiro e determina que os fabricantes têm dois anos para se adequar. Ou seja, obrigação mesmo, só a partir de janeiro de 2019. Mesmo assim, vemos que muitos já adotaram as novas orientações. Apenas os estabelecimentos que preparam os alimentos, sejam eles sem embalagens ou embalados no próprio ponto de venda a pedido do consumidor, não estão obrigados a informar sobre o conteúdo de lactose.

A declaração da presença de lactose será obrigatória nos alimentos com mais de 100 miligramas (mg) de lactose para cada 100 gramas ou mililitros do produto. Ou seja, qualquer alimento que contenha lactose em quantidade acima de 0,1% deverá trazer a expressão “Contém lactose” na embalagem. Essa informação é importante porque muitos intolerantes são sensíveis a essas quantidades mínimas. Além disso, dependendo da porção consumida, a quantidade de lactose pode ser suficiente para causar reações. Fique atento!

Os fabricantes poderão também empregar a expressão “baixo teor de lactose” nos casos em que a quantidade de lactose for reduzida para valores entre 100 mg e 1 g por 100 gramas ou mililitros do alimento pronto conforme instruções do fabricante.

Com a instituição dessas regras, o mercado brasileiro terá três tipos de rotulagem para a lactose: “zero lactose” ou “baixo teor”, para os produtos cujo teor de lactose tenha sido reduzido, e “contém lactose”, nos demais alimentos com presença desse açúcar.

  •  Nunca é demais lembrar que os produtos reduzidos em lactose contêm leite e são indicados apenas para intolerantes, e não são adequados para alérgicos à proteína do leite. A informação sobre os alergênicos nos rótulos é regida por outra norma, que descrevo abaixo.

Alimentos alergênicos

Após intensa pressão popular, foi aprovada em julho de 2015 resolução da Anvisa que regulamenta a rotulagem de alimentos que podem causar alergias. Depois da publicação da norma, os fabricantes tiveram 12 meses para se adaptar, e desde 3 de julho de 2016 devem destacar nos rótulos a presença dos principais alimentos que causam alergias.

Os rótulos devem informar a existência de: trigo, centeio, cevada, aveia e suas estirpes hibridizadas; crustáceos; ovos; peixes; amendoim; soja; leite de todos os mamíferos; amêndoa; avelã; castanha de caju; castanha do Pará; macadâmia; nozes; pecã; pistaches; pinoli; castanhas, além de látex natural.

Com isso, os rótulos dos produtos que contém esses ingredientes devem trazer a informação: “Alérgicos: Contém (nomes comuns dos alimentos que causam alergias alimentares) e derivados”, se for o caso.

Já nos casos em que não for possível garantir a ausência de contaminação cruzada (que é a presença de qualquer alérgeno alimentar não adicionado intencionalmente, como no caso de produção ou manipulação), o rótulo deve constara declaração “Alérgicos: Pode conter (nomes comuns dos alimentos que causam alergias alimentares)”.

Essas advertências, segundo a norma, devem estar agrupadas imediatamente após ou logo abaixo da lista de ingredientes e com caracteres legíveis, em caixa alta, negrito e cor contrastante com o fundo do rótulo.

A norma vale para todos os produtos fabricados depois do dia 03 de julho de 2016.

Já conheciam essas leis? Acham que elas nos ajudam? Comentem caso tenham dúvidas, quem sabe a gente aprende junto 🙂

Lá no canal do YouTube, a Flavia falou sobre rotulagem de alimentos. Vou deixar o vídeo aqui, que ficou bem bacana!

Gotastaram das dicas? Acompanhe o Lactose Não nas redes sociais também, e fique por dentro de tudo 😉 Youtube, Facebook, Instagram e no Snapchat procure por lactosenao.

Sobre o Autor

Carla Vailatti

Carla Vailatti

Oi, eu sou a Carla Vailatti, jornalista e intolerante à lactose. Vivo em negociação com meu corpo, porque tento ouvi-lo, mas ele pede muito chocolate. Acredito que todos precisamos buscar informações para sermos protagonistas da própria saúde.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *