Desabafo de uma cozinha

Olá, eu sou a cozinha. Antigamente eu era espaçosa, acolhedora, e o lugar mais movimentado da casa, cenário de episódios memoráveis em família, lembra? Perdi bastante terreno ultimamente. Muitas vezes sou um cantinho pouco usado, um simples corredor, e ainda tenho que dividir espaço com a lavanderia nesses apartamentos mais compactos.

O tamanho não me importa tanto, só fico chateada porque muitas pessoas esqueceram como posso ser amiga delas. O que preciso fazer para me notarem? Tenho tanto a oferecer, é só me aceitar como amiga <3. Eu sei, vocês têm trânsito, trabalho, estudo, séries e muitas outras opções interessantes para preencher os dias. Ainda mais que, hoje, é possível se alimentar apenas abrindo pacotes ou, quando muito, me usando só para aquecer algo que se compra pré-preparado.

Mesmo com essas facilidades, saber cozinhar é importante. O que tenho a oferecer é simplesmente a independência de poder preparar o que quiser, do jeitinho que gosta, em qualquer hora, sabendo utilizar da melhor forma os recursos disponíveis. E olha que nem mencionei o quão econômico e bom para a saúde pode ser preparar as próprias refeições.

Tem umas pessoas que não me conhecem direito e saem espalhando que sou complicada, dou uma trabalheira e que tudo em mim demora. Fico tão magoada, choro como se tivesse cortado cebola :(. Claro que tem preparações bem trabalhosas e demoradas, mas também há outras que se encaixam no dia a dia, porque são simples, rápidas e nem por isso menos gostosas.

Outra desculpa que quem não vai muito com a minha cara usa é que é preciso ter talento para me usar, e não é bem assim. Cozinhar é como escrever ou andar de bicicleta: ninguém nasce sabendo, mas todos podem aprender. Alguns têm mais facilidade, mas todos conseguem se virar – e até se aprimorar, conforme o interesse e a dedicação. Tem muita informação gratuita disponível, se não dá pra aprender tudo na internet, não falta muito! Procure no Youtube vídeos sobre os seus pratos preferidos, compare as diferenças e tente sua versão. E no dia a dia não precisa inventar moda, uma carne e uns vegetais bem preparados dispensam molhos e outros acompanhamentos elaborados.  Para o dia a dia está mais do que bom. Você tem trabalho, estudos e séries, lembra?

O alimento é algo tão importante, tanto no sentido nutricional quanto nas sensações que proporciona. Quanto mais você puder ser protagonista desse processo, melhor, e criar intimidade comigo vai lhe proporcionar isso. Pense na sua última refeição: de quantas pessoas você dependeu para que ela chegasse até você? Teve o agricultor, o criador, quem processou, distribuiu, enfim, uma galera. Então, o que acha de se juntar a mim e assumir mais vezes pelo menos o finalzinho desse processo?

Gostaram das dicas? Acompanhe o Lactose Não nas redes sociais também, e fique por dentro de tudo 😉 Youtube, Facebook, Instagram e no Snapchat procure por lactosenao.

Sobre o Autor

Carla Vailatti

Carla Vailatti

Oi, eu sou a Carla Vailatti, jornalista e intolerante à lactose. Procuro seguir o que meu corpo e coração pedem: me nutrir de forma natural, me movimentar e enfrentar com leveza os desafios cotidianos.

Posts Relacionados

Mais Posts desta categoria

1 comment on “Desabafo de uma cozinha

  • 13 de fevereiro de 2017 at 10:26
    Andreia Moraes

    Tenho retocolite ulcerativa e tenho muita dificuldade nas viagens

    Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *