Candida e síndrome fúngica – causas e tratamento

Os últimos posts sobre a síndrome fúngica causaram uma grande movimentação! Várias pessoas se identificaram e pediram sobre as formas de tratamento. Então esse é o nosso tema de hoje!

Mas antes precisamos entender três coisas:

  • Identificar a(s)  causa(s) da síndrome fúngica é essencial para tratá-la;
  • A síndrome fúngica é chatinha de se tratar e demanda tempo e paciência;
  • O tratamento demanda um bom sistema imunológico e detoxificação

Identificando as causas da sua síndrome fúngica

A síndrome é geralmente desencadeada por uma soma de fatores. O principal deles é a alimentação, mas a existência de outros fatores facilita seu desenvolvimento.

Alimentação

O fungo candida se alimenta de açúcar. E isso não afeta só quem adora um doce ou sobremesa. Mas qualquer consumo frequente ou exagerado de todo tipo de alimento que contém alto teor de carboidratos que se transformam em açúcar.

Isso inclui além do excesso dos tradicionais doces e alimentos brancos e refinados o excesso de frutas, cereais (mesmo os integrais), raízes e tubérculos.

Ah… todos aqueles tipos alternativos de açúcares (mascavo, demerara, de coco, mel, melado) também estão na lista. Frutas secas ou tâmaras? Também! Doce é doce, e a candida não é boba! Gosta de tudo isso!

Outro fator da alimentação que favorece são os alimentos contaminados por fungos. Estão no topo da lista: amendoim (saiba mais aqui),  castanhas (principalmente caju e pará), milho e alimentos com fácil contaminação de mofo ou bolor (mesmo que você tire a parte estragada ou aquele único morango da bandeja e coma o resto, tudo está contaminado!).

Para completar atenção ao consumo excessivo de laticínios, álcool, adoçantes e dietas de alto índice glicêmico, gorduras ruins (carnes e produtos industrializados) e uma alimentação muito fria.

Alimentos que alcalinizam são super saudáveis e recomendados. Mas alcalinizar demais o corpo favorece o crescimento da cândida. Então talvez você tenha que desapegar do limão e coisas do tipo.

Outros fatores envolvidos são:

  • Uso de antibióticos (mesmo que feito há 6 meses atrás ou mais)
  • Alto nível de estrógeno (pois isso as mulheres são mais afetadas; o anticoncepcional atrapalha bastante)
  • Má digestão e alergias alimentares (a candida pode ser a causa de alergias tardias)
  • Stress (pois depleta o sistema imunológico)
  • Gravidez, diabetes, uso de corticóides, baixa imunidade, baixa capacidade de detoxificação

 

Tenha paciência com o tratamento

Ao fazer mudanças você pode sentir melhoras dentro de um mês, mas isso não necessariamente significa que a candida foi embora – infelizmente 🙁

Isso acontece porque a Cândida consegue se transformar em uma forma inativa quando o ambiente não lhe está favorável. Mas se você tem um desequilíbrio, lá estará ela se manifestando novamente.

O tratamento completo envolveria a redução também das formas inativas, o que exige o uso de antifúngicos, não só dos alimentos, mas também de suplementos (vou falar mais no próximo post). Isso pode levar de 6 meses há 1-2 anos, dependendo do caso. Isso não significa que ficará por todo esse tempo com restrições, mas provavelmente acompanhando com antifúngicos e maior consciência alimentar.

Por outro lado também temos que ter cuidado ao estimular a morte dos fungos. Quando eles morrem liberam de uma só vez as toxinas que produzem, que atravessam a barreira do intestino, entram no nosso corpo e promovem aumento dos sintomas por um período!

 

O tratamento demanda um bom sistema imunológico e de detoxificação

Ao promover a morte dos fungos é preciso garantir uma boa detoxificação e um sistema imunológico que aguentem o tranco.

Estima-se que os fungos produzem mais de 70 subprodutos tóxicos, que atravaessam a barreira do intestino e disparam os diferentes sintomas que mencionamos (post anterior). Por isso, o fígado precisa dar conta de eliminar tudo isso para que não se acumule.

Agora que você se identificou com as principais causas precisa trabalhar para eliminá-las! A flávia já deu várias dicas bacanas de como eliminar o açúcar

No próximo post vou falar um pouco mais sobre os alimentos antifúngicos que auxiliam no tratamento da cândida.

Aproveite para deixar seus comentários e dúvidas. Se conseguir ler a tempo já respondo no próximo post.

Este material tem o objetivo de esclarecer e gerar auto conhecimento e não substitui uma consulta profissional. Busque um nutricionista para te acompanhar de perto nessa jornada 😉

Nutri Pri Riciardi

nutripririciardi.com

Dúvidas do que comer durante o tratamento? Clique aqui e compre o e-book Tchau Candi, com 16 receitas sem glúten, leite, açúcar e carboidratos refinados por apenas  R$19,90 – pagamento por boleto ou cartão de crédito.

Sobre o Autor

Priscila Riciardi

Priscila Riciardi

Sou nutricionista por paixão! Acredito que a alimentação saudável é um caminho de auto conhecimento e não um monte de regras nutricionais. Para cada pessoa e momento de vida há um alimento e um estilo alimentar. Sempre que posso, adoro criar na cozinha e transformar conhecimento em sabor.

Posts Relacionados

Mais Posts desta categoria

1 comment on “Candida e síndrome fúngica – causas e tratamento

  • 17 de maio de 2017 at 14:07
    caryne Amaral

    Tenho kefir de água porém devido a acidez da fermentação quando tomo tenho refluxo..voce sabe me falar como posso reduzir a acidez do kefir?!Muito obrigada

    Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *