aqui? >

Bem-vindos!!

Ao meu novo site, amigos.


Eu sou a Flavia Machioni, autora do Lactose Não. Desde que descobri minhas alergias alimentares minha vida mudou totalmente. Assumi responsabilidade pela minha saúde e bem estar e vou te auxiliar a fazer o mesmo!
Clique aqui para conhecer mais da minha história, aqui para conferir receitas sem glúten e lactose que desenvolvo e saber mais sobre intolerância à lactose, alergia à proteína do leite e doença celíaca.

Últimos Posts:

Muffin sem glúten

Olá gente linda, como vocês estão? Hoje vim ensinar a receita de um Muffin sem glúten, super versátil e muito rápido de preparar. Vamos aprender? INGREDIENTES
  • 100g de mandioca cozida;
  • 170ml de água; 
  • 1 ovo; 
  • Punhado de rúcula; 
  • 240g de frango desfiado e temperado; 
  • 75g de farinha de arroz integral; 
  • 1 colher de sopa de psillyum; 
  • 15ml de azeite de oliva;
  • 1 colher de sopa de fermento químico;
  • Azeitonas verdes a gosto; 
  • Sal e temperos secos a gosto.
MODO DE PREPARO No liquidificador bata a mandioca, a água, rúcula e ovo até obter um creme liso. Em um bowl coloque o frango, a farinha de arroz, o psillyum e as azeitonas e misture com o creme. Adicione o azeite, ajuste o sal e temperos e por último adicione o fermento (fica uma massa bem consistente mesmo). Distribua em forminhas de silicone, salpique gergelim por cima e asse em forno preaquecido por aproximadamente 20-25 minutos. Sirva com salada de folhas, fica uma delícia.   Você pode preparar esse muffin com os ingredientes que você tem casa. Substitua o frango por carne, atum ou legumes. A mandioca por batata doce, batata salsa. Tenho certeza que também vai ficar uma delicia. Gostaram? Espero que sim. Façam em casa e me marquem nas fotos, adoro ver. Até a próxima. Um beijo, Kami.  @kaminacozinha www.facebook.com/kaminacozinha www.kaminacozinha.com.br  
Leia Mais >

Seis motivos para a gente não comer sempre a mesma coisa

Oi, tudo bem? Se você - assim como eu - busca melhorar sua qualidade de vida, é provável que já tenha diminuído os refinados e incluído mais alimentos frescos na sua rotina. Isso é ótimo, conseguimos sentir os benefícios na nossa disposição, saúde e bem estar. Mas tornar a alimentação mais consciente e saudável é muito mais um caminho do que um destino, por isso sempre há a possibilidade de dar novos passos. Um deles é variar os alimentos que escolhemos para nos nutrir. E não comer sempre a mesma coisa faz bem não só para nós, mas também para o planeta. Vamos descobrir como?

Os sabores mudam

Cada planta tem seu ciclo natural de florescer, dar frutos, etc. Com artifícios é possível fazer com que ela produza o ano todo, mas o sabor não fica lá essas coisas. Já comprou um morango meio sem gosto? Um mamão que parece que nunca fica maduro? Ou aquelas maçãs super grandonas e vermelhas do supermercado que têm sabor esquisito? Pois é, o bom é que a cada estação temos frutas e outros vegetais no ponto 😉

Não precisa excluir, só incluir

Adora uma banana? Uma cenoura? Tudo bem continuar com elas no cardápio, eu também adoro :). Mas cada estação e região tem suas delícias no ápice do sabor. Na próxima vez que for na feira ou supermercado, observe frutas e legumes além dos que costuma comprar. Os da estação vão estar tão baratos, madurinhos e saborosos que não vai ser nenhum sacrifício acrescentá-los no seu cardápio;

Quanto mais fresco, mais gostoso

Se ainda não tem o costume de frequentar feiras, meu conselho é que procure uma perto da sua casa e faça a experiência. As frutas e outros vegetais são muito mais frescos, e o sabor é bem diferente dos que compramos nos supermercados. Também tem mais opções e preços melhores. Mesmo que não seja a feira mais orgânica e diversificada, vale a pena;

É bom para a preservação ambiental

A diversidade possibilita o equilíbrio e a capacidade de renovação da natureza. Aí nossa espécie decide basear a alimentação em poucas opções, como leite, trigo, carne bovina, milho e arroz, e frutas como banana, mamão e laranja. A alta demanda somada às as grandes áreas que a produção desses alimentos exige, além dos agroquímicos utilizados, resultam em um impacto ambiental tão grande que nem se pode dizer a dimensão;

Saúde fortalecida

Essa nem é novidade: cada alimento têm nutrientes diferentes, e variar possibilita que nosso organismo receba os macro e micronutrientes necessários para funcionar direitinho. Então, fortaleça sua imunidade saindo da mesmice alimentar!

Desapegue e seja feliz

A comida às vezes serve como conforto, e tudo bem. Isso começa a ser prejudicial quando a gente precisa ou depende de um determinado alimento. É ok gostar de tomar um café toda manhã, ou de comer algo doce depois do almoço, mas quando a gente depende disso para continuar o dia, algo está errado. O controle deve estar com a gente, e não com o alimento. Não me entendam mal, não estou defendendo abrir mão de todos os  prazeres, afinal comer é uma das melhores coisas da vida! Mas comer achando que não deve só porque não consegue ficar sem, isso eu não acho saudável.
Também têm a preocupação de variar a alimentação? Isso é tranquilo para você? Às vezes a gente se acomoda e precisa de motivação para sair da zona de conforto. Estou pensando em escrever um próximo post sobre estratégias para variar o nosso cardápio, tem alguma dica que tenha funcionado para você? Também enfrento esse desafio, vamos tentar melhorar um pouquinho todo dia 🙂
Leia Mais >

Alimentos contra cândida/síndrome fúngica

Tratar a cândida demanda tanto a retirada do que faz mal, mas também a inclusão do que dá suporte para o corpo se recuperar e trata os desequilíbrios. Já falamos no post anterior o que deve ser evitado e hoje vamos falar o que incluir. Muitos dos desequilíbrios intestinais começam na digestão. Como já falamos que a candida é um desequilíbrio intestinal também temos esse foco no tratamento. Garantir uma boa digestão é essencial. Veja alguns alimentos:
  • Limão espremido logo antes da refeição
  • chá de gengibre ou alecrim bem concentrado logo antes ou depois (50ml)
  • Uso de enzimas digestivas, misturas adequadas, refeições sem excessos e devidamente aquecidas
O segundo passo é a inclusão dos alimentos antifúngicos. Eles vão ajudar bastante, mas na maioria dos casos também é necessário a inclusão de suplementos antifúngicos:
candidíase

Leite de semente de abóbora (photo do perfil @melskitchen)

  • Óleo de coco - em doses terapêuticos (1-3col chá/dia)
  • orégano e óleo essencial de orégano
  • alho
  • cravo (na forma de chá ou pó)
  • cúrcuma ( fresca ou em pó)
  • pólen
  • sálvia (também ajuda por controlar o estrógeno)
  • gengibre
  • semente de abóbora (priorize as sementes às castanhas de forma geral)
  • canela
  • Suplementos como ácido caprílico, pau d`arco,  berberina, óleo de alho ou orégano, unha de gato dentre outros
  Essa é uma receita que comentei lá no meu insta (@nutripririciardi). É um leite de semente de abóbora com várias especiarias antifúngicas. Uma mistura perfeita anticandida. Mas nesse caso o ideal é não adoçar ou no máximo usar uma porção pequena 20g) de chocolate 70%. Minha sugestão de mistura: Leite vegetal anti candida -200ml de leite de semente de abóbora (precisa ser a sem casca. Use 1/2 xic para 2 xic de água) -1 col café de canela em pó + 1 col café de gengibre em pó + 1/2 col café de cravo em pó + opcional (cardamomo, cúrcuma) -1 col chá de óleo de coco -uma pitada de sal + xylitol ou 20g de chocolate 70% ou mais ou 1 col sobremesa de alfarroba   O terceiro passo é melhorar a imunidade e garantir um bom sistema de detoxificação. Quando matamos os fungos as toxinas deles ainda são liberadas, porém tudo de uma vez. Essa sobrecarga pode gerar piora momentânea dos sintomas e demanda de uma boa imunidade e capacidade de limpeza do organismo. Para isso inclua:
  • Spirulina ou chlorella
  • Muitos vegetais das brássicas (brócolis, couve, couve flor, repolho, acelga)
  • Alimentos ricos em fibras como a biomassa de banana verde, o psillium, chia
  • Gengibre, chá verde, própolis, cogumelos
  • ricos em vitamina C: acerola, caju, goiaba (cítricos devem ser analisados caso a caso)
  • Suplementos como NAC, molibdênio, selênio, silimarina, astragallus, glutamina, probióticos dentre outros
Muito se fala do kefir, e ele realmente tem ótimos benefícios. Porém, como o cultivo é bastante caseiro, não temos um bom controle microbiológico. Em um organismo sensível e mais debilitado como na candidíase meu protocolo é não utilizar o kefir e fazer o uso de outros probióticos com manipulação mais controlada. Um quarto passo, geralmente envolvido, é modular o estresse com ervas adaptógenas, que reduzem os impactos do estresse no corpo, e também usar de estratégias para reduzir a vontade por doces. A retirada do açúcar é necessária, mas como a dependência por ele geralmente está alta, o uso de fitoterápicos assim como a redução gradual ajudam. Fazer preparações de doces mais saudáveis com efeitos probióticos, como os de biomassa, com menor concentração de açúcar e mesmo com alimentos antifúngicos são boas opções. E aí, acha que dá pra começar incluindo esses alimentos?
Clique aqui e compre o e-book Tchau Candi, com 16 receitas sem glúten, leite, açúcar e carboidratos refinados por apenas  R$19,90 - pagamento por boleto ou cartão de crédito.
Pri Riciardi - nutricionista funcional especializada em fitoterapia e grande estudiosa de tudo que envolve intestino 🙂 nutripririciardi.com  
Leia Mais >

Candida e síndrome fúngica – causas e tratamento

Os últimos posts sobre a síndrome fúngica causaram uma grande movimentação! Várias pessoas se identificaram e pediram sobre as formas de tratamento. Então esse é o nosso tema de hoje! Mas antes precisamos entender três coisas:
  • Identificar a(s)  causa(s) da síndrome fúngica é essencial para tratá-la;
  • A síndrome fúngica é chatinha de se tratar e demanda tempo e paciência;
  • O tratamento demanda um bom sistema imunológico e detoxificação
Identificando as causas da sua síndrome fúngica A síndrome é geralmente desencadeada por uma soma de fatores. O principal deles é a alimentação, mas a existência de outros fatores facilita seu desenvolvimento. Alimentação O fungo candida se alimenta de açúcar. E isso não afeta só quem adora um doce ou sobremesa. Mas qualquer consumo frequente ou exagerado de todo tipo de alimento que contém alto teor de carboidratos que se transformam em açúcar. Isso inclui além do excesso dos tradicionais doces e alimentos brancos e refinados o excesso de frutas, cereais (mesmo os integrais), raízes e tubérculos. Ah… todos aqueles tipos alternativos de açúcares (mascavo, demerara, de coco, mel, melado) também estão na lista. Frutas secas ou tâmaras? Também! Doce é doce, e a candida não é boba! Gosta de tudo isso! Outro fator da alimentação que favorece são os alimentos contaminados por fungos. Estão no topo da lista: amendoim (saiba mais aqui),  castanhas (principalmente caju e pará), milho e alimentos com fácil contaminação de mofo ou bolor (mesmo que você tire a parte estragada ou aquele único morango da bandeja e coma o resto, tudo está contaminado!). Para completar atenção ao consumo excessivo de laticínios, álcool, adoçantes e dietas de alto índice glicêmico, gorduras ruins (carnes e produtos industrializados) e uma alimentação muito fria. Alimentos que alcalinizam são super saudáveis e recomendados. Mas alcalinizar demais o corpo favorece o crescimento da cândida. Então talvez você tenha que desapegar do limão e coisas do tipo. Outros fatores envolvidos são:
  • Uso de antibióticos (mesmo que feito há 6 meses atrás ou mais)
  • Alto nível de estrógeno (pois isso as mulheres são mais afetadas; o anticoncepcional atrapalha bastante)
  • Má digestão e alergias alimentares (a candida pode ser a causa de alergias tardias)
  • Stress (pois depleta o sistema imunológico)
  • Gravidez, diabetes, uso de corticóides, baixa imunidade, baixa capacidade de detoxificação
  Tenha paciência com o tratamento Ao fazer mudanças você pode sentir melhoras dentro de um mês, mas isso não necessariamente significa que a candida foi embora - infelizmente 🙁 Isso acontece porque a Cândida consegue se transformar em uma forma inativa quando o ambiente não lhe está favorável. Mas se você tem um desequilíbrio, lá estará ela se manifestando novamente. O tratamento completo envolveria a redução também das formas inativas, o que exige o uso de antifúngicos, não só dos alimentos, mas também de suplementos (vou falar mais no próximo post). Isso pode levar de 6 meses há 1-2 anos, dependendo do caso. Isso não significa que ficará por todo esse tempo com restrições, mas provavelmente acompanhando com antifúngicos e maior consciência alimentar. Por outro lado também temos que ter cuidado ao estimular a morte dos fungos. Quando eles morrem liberam de uma só vez as toxinas que produzem, que atravessam a barreira do intestino, entram no nosso corpo e promovem aumento dos sintomas por um período!   O tratamento demanda um bom sistema imunológico e de detoxificação Ao promover a morte dos fungos é preciso garantir uma boa detoxificação e um sistema imunológico que aguentem o tranco. Estima-se que os fungos produzem mais de 70 subprodutos tóxicos, que atravaessam a barreira do intestino e disparam os diferentes sintomas que mencionamos (post anterior). Por isso, o fígado precisa dar conta de eliminar tudo isso para que não se acumule. Agora que você se identificou com as principais causas precisa trabalhar para eliminá-las! A flávia já deu várias dicas bacanas de como eliminar o açúcar No próximo post vou falar um pouco mais sobre os alimentos antifúngicos que auxiliam no tratamento da cândida. Aproveite para deixar seus comentários e dúvidas. Se conseguir ler a tempo já respondo no próximo post. Este material tem o objetivo de esclarecer e gerar auto conhecimento e não substitui uma consulta profissional. Busque um nutricionista para te acompanhar de perto nessa jornada 😉 Nutri Pri Riciardi nutripririciardi.com
Dúvidas do que comer durante o tratamento? Clique aqui e compre o e-book Tchau Candi, com 16 receitas sem glúten, leite, açúcar e carboidratos refinados por apenas  R$19,90 - pagamento por boleto ou cartão de crédito.
Leia Mais >

Dieta para candidíase – o que sobrou para comer?

Oii, amigos!!! Hoje vamos ver o que "sobrou" para comer na dieta para candidíase. Confesso que coloquei esse título para provocar mesmo, porque fiquei chocada com a reação de muitos de vocês dizendo que não sobrou nada para comer! Fiquei surpresa ao ver a supresa de vocês ao saber que comer comida pobre em nutriente não faz parte de um tratamento para melhorar a saúde. Poxa, gente, sério? Vocês não acham meio óbvio que comer um monte de açúcar, bebidas industrializadas, gorduras ruins, pães e bolos pobríssimos em nutrientes faz mal? Fiquei triste e preocupada ao ler comentários do tipo: "Ou seja, fazer esse tratamento é ficar infeliz". Vejam as fotos abaixo, são receitas que desenvolvi com ingredientes funcionais e nutritivos. Melhorar nossa saúde através da alimentação não deve e nem pode ser sinônimo de sofrimento 🙂 Deixar de comer produtos alimentícios - porque, tirando as frutas, nada do que tem nessa lista aqui é comida - faz você ficar infeliz? Algo está errado aí, amigo... a nossa felicidade não vem de escolhas alimentares não. A felicidade vem de um conjunto de fatores, onde a comida é uma parte pequena. Seus relacionamentos, sua carreira/estudos, sua família, prática de atividades físicas, espiritualidade, tudo isso influencia na sua felicidade. Fora que, estes posts que tenho feito sobre síndrome fúngica e candidíase recorrente são para alertar o que a alimentação de 95% da população traz: disbiose, diversas inflamações, doenças, mal-estar, falta de ânimo e até depressão!!! Talvez a causa da infelicidade seja o que aquela lista de alimentos está fazendo com seu organismo: alterando seus hormônios, aumentando sua indisposição, não dando energia e vontade suficiente de fazer as coisas, e não o contrário.. Bom, mas eu estou aqui para tentar ajudar e por isso hoje vou mostrar tudo o que "sobrou" para comer aos que querem melhorar sua saúde 🙂 Eu trabalho com cozinha natural e funcional, isso quer dizer que além de receitas gostosas e práticas, eu escolho os ingredientes pensando no que eles podem trazer a mais - algum benefício que auxilie em um objetivo específico. Neste caso, é super interessante incluirmos os alimentos abaixo devido a suas propriedades antifúngicas, anti-inflamatórias, antibacterianas e imuno moduladoras.
  • Coco: óleo, água e polpa. O coco é rico em algumas substâncias com grande poder fungicida e bactericida, como o ácido láurico e ácido caprílico. Além disso, o coco é um dos alimentos mais nutritivos do mundo. A água ajuda a hidratar e repor minerais, a polpa e o óleo são ricos em gorduras boas e ainda auxiliam na saciedade 🙂
  • Alho. Ele é maravilhoso, aumenta a imunidade, é probiótico, anti-inflamatório e auxilia a recuperação ser mais rápida.

  • Gengibre e cúrcuma. Raízes com ótimas ações anti-inflamatórias, também auxiliam na digestão e vão aumentar a imunidades.

  • Frutas vermelhas. Ricas em antioxidantes e com baixo índice-glicêmico! Se joga, miga!!!!

  • Probióticos. Probióticos são alimentos e bebidas ricas em microorganismos do bem, amigos, lindos, maravilhosos que vão repovoar nosso intestino com bactérias benignas. Aumentando o consumo destes alimentos, as bactérias boas vão matando as malignas e fungos e assim o mal-estar vai desaparecendo. Alimentos probióticos: missô, chucrute, picles caseiro, kefir, kombucha, rejuvelac. No meu e-book Tchau Candi você aprende a fazer picles caseiro e rejuvelac. Clique aqui para comprar por R$19.90.

  • Prebióticos. Os prebióticos são alimentos para os probióticos. Muito importante adicionar na alimentação também, pois nada adianta ter vários amigos novos no intestino se não tiver comida para eles, né? O amido resistente é um ótimo prebiótico e você encontra ele na biomassa de banana verde, aipim, inhame e algumas outras raízes. A concentração do AR varia muito dependendo da maturação do alimento, método de cocção e temperatura. Veja algumas receitas com biomassa de banana verde aqui.

  • Ervas como orégano, tomilho e alecrim. São super antifúngicas! Você pode fazer chá com elas ou caprichar no tempero da sua comida do dia-dia.

  • Chá de ipê-roxo.
  • Extrato de própolis. Excelente imuno regulador e cicatrizante.
  • Glutamina. Protege e recupera as vilosidades intestinais, que provavelmente vão estar bem prejudicadas.
Estes são alimentos interessantes para incluir na alimentação devido a suas propriedades específicas. Agora veja, de fato, o que sobrou para você comer:
  • Ovos
  • Frango
  • Peixe
  • Carne
  • Cogumelos
  • Aveia - para quem tem intolerância, alergia ou doença celíaca comprar as certificadas sem glúten.
  • Amaranto (grãos, flocos e farinha)
  • Quinoa (grãos, flocos e farinha)
  • Painço (grãos, flocos e farinha)
  • Feijão de todos os tipos (grãos e farinhas)
  • Grão de bico (grãos e farinhas)
  • Lentilha (grãos e farinhas)
  • Ervilha
  • Trigo sarraceno (grãos e farinhas)
  • Tofu
  • Arroz cateto
  • Batata doce
  • Aipim
  • Inhame
  • Mandioquinha
  • Brócolis
  • Couve-flor
  • Beterraba
  • Abóbora
  • Abobrinha
  • Berinjela
  • Tomate
  • Cebola
  • Espinafre
  • Couve
  • Vagem
  • Repolho
  • Cenoura
  • Pepino
  • Batata Yacon
  • Alface
  • Rúcula
  • Agrião
  • Folha de mostarda
  • Broto de alfafa
  • Broto de bambu
  • Escarola
  • Amêndoas, nozes e castanhas de boa procedência (para evitar contaminação por fungos)
  • Ameixa
  • Framboesas
  • Amora
  • Maracujá
  • Morango
  • Melão
  • Laranja inteira
  • Limão
  • Goiaba
  • Água de coco
  • Farinha de coco
  • Coco ralado
  • Polpa do coco
  • Manteiga de coco
  • Óleo de coco
  • Azeite de oliva
  • Stevia
  • Xilitol
  • Outro adoçante como taumatina, inulina ou combinações deles.
  • Algas Marinhas
  • Chás como de camomila, hortelã, cidreira, erva-doce, canela, gengibre, casca de abacaxi, boldo, hibisco.
As fotos ali em cima, são algumas das 16 receitas que desenvolvi para o e-book para ajudar você no café da manhã e nos lanches. Elas são práticas, nutritivas e deliciosas! Ele está R$19,90 e você pode comprar clicando aqui - pagamento por boleto ou cartão de crédito.
Para ver ideias de alimentação no dia-dia (almoço e janta), veja este post aqui. Lembre-se que no meu Instagram eu posto dicas e receitas diariamente e minha alimentação é sempre natural, sem glúten, leite, pouco açúcar e com carboidratos complexos, então me acompanhe por lá. Hoje é o último post da série sobre candidíase, disbiose e intolerâncias alimentares. Veja todos aqui. Caso você esteja suspeitando que está com esse quadro, procure um bom nutricionista funcional para que auxilie no tratamento e adeque sua alimentação e suplementação. Nenhuma informação contida aqui substitui o acompanhamento médico e nutricional. Procure um bom profissional para acompanhar você e passar tratamento individualizado! Meus amores, espero que essa série de posts tenha auxiliado vocês de alguma maneira. Lembrem sempre que a escolha é sempre nossa e que devemos estar preparados e dispostos para mudar. Fiquem bem, um super beijo!  
Leia Mais >

O que excluir na dieta anti candidíase

Oii, amigos!! Dando continuidade aos posts sobre candidíase intestinal, hoje vou falar o que excluir na dieta anti candidíase. Como disse no último post, o tratamento para candidíase é basicamente alimentação. Claro que em alguns casos é necessário fazer uso de pomadas e medicação, mas quando a candidíase é recorrente e está no intestino (síndrome fúngica) o que mais faz efeito é mudar a alimentação. Por isso, hoje falarei dos alimentos que devemos excluir na dieta anti candidíase.
Lembrando que nenhuma informação contida aqui substitui o acompanhamento médico e nutricional. Procure um bom profissional para acompanhar você e passar tratamento individualizado!
Basicamente você deverá excluir todos os alimentos que promovem fermentação. Alimento fácil para os fungos faz com que eles cresçam com velocidade, e não é isso que queremos. Em contrapartida, é super interessante incluir alimentos que promovam o aumento das bactérias boas e fortaleçam a imunidade. Mas esse assunto é do post de amanhã.
Aproveite e compre o e-book com receitas de café da manhã e lanche sem glúten, leite, açúcar e carboidratos refinados para auxiliar no tratamento! Apenas R$19,90, clique aqui. 
Vamos ver, então, quais os alimentos que deverão ser excluídos durante o tratamento. Lembrando que quanto mais você conseguir restringir, mais rápida será sua recuperação.
  • Açúcar. De todo tipo: mel, melado, açúcar demerara, mascavo, de coco, agave, etc. É o alimento preferido do fungo e é preciso cortar mesmo, para que ele morra rapidamente.
  • Algumas frutas também devem ser excluídas, as com índice glicêmico mais alto como banana, maçã, mamão, caqui, uva, abacaxi, pêra, melancia. Os sucos de fruta também, viu?
  • Frutas secas, são um falso saudável, pois elas concentram muito mais açúcar que a fruta in natura.
  • Bebidas industrializadas como refrigerantes, sucos, águas com sabor, gatorade e afins. São riquíssimos em açúcar.
  • Bebidas alcólicas, principalmente as fermentadas como vinho e cerveja.
  • Café e outras bebidas estimulantes, pois mexem com o sistema nervoso e afetam o equilíbrio do açúcar no sangue, é melhor evitar.
  • Carboidratos refinados e de alto índice glicêmico. Farinhas no geral, batata inglesa, arroz, macarrão etc. Devem ser evitados pois, mesmo não tendo sabor doce, se transformam rapidamente em açúcar no sangue.
  • Amendoim. Nos períodos mais críticos é bom evitar pois o amendoim é facilmente contaminado por fungos. Outras oleaginosas, quando consumir, procure as de boa procedência.
  • Laticínios. Se você ainda consome derivados do leite, é o momento de cortá-los. São difíceis de digerir e vão promover fermentação.
  • Gorduras ruins. Estão presentes em quase todo produto industrializado, são os óleos vegetais refinados (milho, soja, canola) e gorduras trans. Elas aumentam a inflamação no organismo.
São basicamente esses os alimentos que devemos excluir enquanto tratando a candidíase, mas lembre-se o acompanhamento nutricional é fundamental para que adeque a dieta e o tratamento para sua realidade!!! Fora a alimentação, o stress e hábitos também influenciam muito no quadro e no tratamento. Portanto, procure incluir uma prática de meditação, algum exercício físico que permita você se conectar com você mesma ou desligar de todo o resto, busque fazer atividades que te dão prazer. O carinho com que você se tratar durante este período facilitará bastante o tratamento 🙂 Evite roupas muitos justas, calcinhas de tecido sintético, biquíni molhado e tente deixar a região vaginal com a menor umidade possível. Durma sem calcinha, também ajuda! ihihihi Lembrando que este é o quinto post de uma série de 7 sobre candidíase, intolerâncias alimentares e intestino. Confira o primeiro, segundoterceiro e quarto post. Se voc6e acha que não sobrou nada para comer ou está curioso para ver o que incluir, confira este post. Para ideias de receitas de café da manhã e lanche sem glúten, leite, açúcar e carboidratos refinados para auxiliar no tratamento, compre meu e-book Tchau Candi. São 16 receitas por R$19,90. Clique aqui para comprar. Não esqueça que lá no Instagram estou postando dicas e receitinhas, tudo com a #tchaucandi. Um beijo!
Leia Mais >

Receitas

Confira aqui receitas sem glúten, lactose, proteína do leite e ovos. Opções deliciosas e super nutritivas!

Cursos

Acompanhe minha agenda de cursos de gastronomia funcional restritiva pelo Brasil.
Módulos temáticos com receitas nutritivas e livres de alergênicos.

Personal Cook

Consultorias e aulas particulares customizadas para suas necessidades e interesses. Cozinhamos juntos enquanto ensino técnicas e conceitos da alimentação natural funcional.

Apostilas

Clique para conhecer minhas apostilas de receitas e técnicas sem glúten, lactose, ovos e açúcar refinado.

Aqui você encontra conteúdo relevante
sobre alergias alimentares e estilo de vida saudável.

Depoimentos de Alunos

Conecte-se nas minhas redes sociais